30/04/2020 às 16h09min - Atualizada em 30/04/2020 às 16h09min

A situação do Batalhão de Óbidos – 1913 – Relatos verídicos | Portal Obidense

Por: Pe. Sidney Augusto
Óbidos no ício do século IXX - Imagens ilustrativa
ÓBIDOS - Para satisfazer-se interesses da oligarquia dos Lemos, o 4º Batalhão de Artilharia, que estacionava em Belém, foi transferido para Óbidos, onde não há um quartel habitável, mas um velho forte em ruínas, sem acomodações.
 
Esse batalhão devia ter a seguinte oficialidade: um coronel, um major, três capitães, dois primeiros tenentes, quatro segundos tenentes, um médico e um farmacêutico: isso, no mínimo.
 
Pois o 4º de artilharia é comandado pelo primeiro tenente Philadelpho Cunha; serve de major o 2º tenente Flavio de Albuquerque; comanda as baterias e acumula as funções de ajudante e de secretário do Batalhão, o 2º tenente Manoel Francisco de Vasconcelos. Três oficiais, dos quais dois de infantaria (do 47º) servem no 4º de artilharia, que devia ter onze.
 
O médico, capitão dr. Mariz Pinto, é, ao mesmo tempo, farmacêutico e enfermeiro.
 
Isso, que nos conta em carta, pessoa que este em Óbidos, é simplesmente deplorável.
 
NOTA: Texto extraído do jornal A Epoca de 29 de janeiro de 1913.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual BANDA ou CANTOR que vc gostaria de ver num Grande Evento Paraense em 2020 em Manaus

2.4%
22.4%
10.3%
1.5%
0%
0%
15.5%
1.8%
0.6%
34.2%
1.2%
3.9%
3.9%
2.1%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp