19/04/2018 às 13h54min - Atualizada em 19/04/2018 às 13h54min

Técnicos da Defesa Civil Estadual verificam estragos causados pela chuva em Óbidos

Levantamento de dados técnicos e vistoria de áreas afetadas são obrigatoriedade para homologação do decreto municipal de emergência.

Por: Jailton Santos e Érique Figueirêdo – ASCOM/PMO

Fotos: Mauro Pantoja – ASCOM/PMO

ÓBIDOS - Técnicos da 4ª Regional de Defesa Civil (4ª Redec), realizam desde a terça-feira (17) a vistoria das localidades afetadas pelas fortes chuvas que caíram no município de Óbidos, no oeste do Pará. O agravamento das condições de infraestrutura de vias urbanas, estradas, pontes e vicinais, levaram o governo municipal a decretar situação de emergência no último dia 10 de abril.

Militares do 4ª Grupamento de Bombeiros de Santarém que integram a 4ª Redec, estão realizando vistorias nas áreas consideradas de risco pela Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec) nas zonas urbana e rural. Fazem parte desta etapa dos trabalhos para o reconhecimento do decreto municipal a análise dos laudos técnicos que apontam de forma detalhada os danos causados pela enxurrada.

“Nossa missão aqui além de averiguar as áreas de risco, é fazer a tramitação dos documentos necessários pra que se dê um suporte melhor na veracidade dos fatos que estão acontecendo em Óbidos. Estamos realizando o preenchimento dos formulários no sistema do Ministério da Integração Nacional, inclusive com o envio de fotos para mostrar os danos. Faremos o nosso relatório que será encaminhado à defesa civil estadual que analisará as informações coletadas aqui”, explicou Antônio Carlos Amaral, técnico da 4ª Redec.

As equipes estiveram na Vila União Curumú e no Distrito do Flexal, zona rural do município, e constataram a grave situação das estradas e de algumas pontes. Foram detectados ainda, casos de comunidades localizadas nessas áreas que estão inacessíveis. Devido a essas dificuldades estudantes deixaram de ir à escola.

Na manhã dessa quinta-feira (19) os técnicos fizeram a vistoria na Avenida Nelson Souza, principal via de acesso da cidade que está com o acostamento comprometido. Na Travessa Paulo VI, no bairro São Francisco, uma casa comprometida por uma vala foi vistoriada pela equipe.

“Temos elementos suficientes para o reconhecimento do decreto municipal de emergência.  A nossa preocupação é quanto o envio de ajuda, principalmente no que diz respeito a recuperação das nossas vias urbanas e estradas que em alguns casos estão caóticas. Estamos fazendo tudo para agilizar esse processo no que compete a nossa parte, para que possamos ter mais poder de resposta aos chamados que vêm de todos os cantos do município”, disse Jamerson Amaral, coordenador da Comdec.

Prejuízos - Segundo o levantamento preliminar realizado pela Comdec, já são 29 imóveis danificados na zona urbana, dois foram destruídos. Quase 6 mil metros de vias urbanas com a infraestrutura comprometida por buracos e valas em decorrência da forte chuva. Além de estragos em estradas, pontes e vicinais do município que estão praticamente intrafegáveis.

O levantamento aponta também para a possibilidade de contaminação de uma das fontes de captação da Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa), localizada no bairro Cidade Nova, em razão das enxurradas carrearem materiais para dentro da área e para o sistema de tratamento.

Reconhecimento - Com o reconhecimento do decreto municipal de situação de emergência por parte dos governos Estadual e Federal, será possível agilizar processos administrativos e operacionais relacionados, por exemplo, à recuperação de áreas afetadas e à prevenção de riscos.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Findando o período letivo qual a matéria mais difícil de passar?

8.5%
17.0%
34.0%
8.5%
19.1%
2.1%
10.6%
Moeda Valor
Dólar 3.6784
Euro 4.3424
Peso Argentino 0.1517
Bitcoin 31300