09/12/2022 às 15h46min - Atualizada em 09/12/2022 às 15h46min

Instituto Juruti Sustentável recebe visitas avaliativas de parceiros e fortalece parcerias no Oeste Paraense

Nova fase de avanços foi registrada em meio ao 2° Encontro de Sustentabilidade de Juruti realizado recentemente no município e a percepção em campo dos resultados pelos parceiros e investidores nas ações

Por: Italo Brum

Portal Obidense  Publicidade 790x90

Instituto Juruti Sustentável fortalece parcerias no Oeste Paraense

JURUTI - Parceiros nacionais que apoiam as iniciativas do Instituto Juruti Sustentável (IJUS) na região Oeste do Pará, estiveram em Juruti e realizaram uma semana de visitas técnicas avaliativas a ações e projetos apoiados no município no território dos Projetos Estaduais de Assentamento Agroextrativista (Peaex) Prudente Monte Sinai e Curumucuri, Área de Proteção Ambiental do Jará. São eles a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID), a Alcoa, o Instituto Alcoa, a Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA) e apoiadores das iniciativas que fazem parte do projeto INGÁ (Indicadores de Sustentabilidade e Gestão na Amazônia (INGÁ), fechando um ciclo de percepção de resultados no território.


As visitas acontecem no mesmo período do 2 ° Encontro de Sustentabilidade de Juruti e atestaram a efetividade das iniciativas do IJUS por meio do Projeto INGÁ. Segundo o diretor do IJUS, Gustavo Hamoy, foi uma semana de monitoramento de ações e projetos em campo e uma oportunidade de dialogar com beneficiários e perceber a necessidade de fazer ajustes.

 
“Um ponto alto da semana de visitas de monitoramento das ações do Projeto INGÁ, foi quando os parceiros de fora, como USAID e PPA, e também nós da diretoria do IJUS, vimos, olho no olho, o depoimento, o testemunho e a importância do comunitário que é beneficiado com impacto no dia a dia nas ações. Foi muito gratificante ter esse momento compartilhado nesses diálogos no local”, lembrou.

Entre diversos números, o Projeto INGÁ possibilitou a entrega de 26.300 sementes aos agricultores, a realização de 40 análises de solo, a implementação de 01 viveiro de mudas e de 04 sistemas de irrigação, a criação do Observatório de Indicadores, dois diagnósticos socioambientais, 27 hectares de áreas de SAFs georreferenciadas e 39 hectares de áreas de preservação também georreferenciadas.



Para Catherine Hamlin, diretora do escritório de meio ambiente da USAID/Brasil, foi interessante ver de perto a implementação das intervenções, as perspectivas dos produtores durante o 2º Encontro de Sustentabilidade de Juruti.

 
“Fiquei impressionada com a participação dos membros da comunidade no Encontro de Sustentabilidade, porque há muitos interesses, muitas perguntas e elas (comunidades) têm uma voz muito importante em termos de quais são suas necessidades e prioridades. Nas visitas gostei muito de ver os empreendimentos que já começaram, além dos modelos de SAF`s (Sistemas Agroflorestais) dos produtores. Então, estou contente, depois de muito ouvir sobre Juruti, finalmente conhecer pessoalmente e espero voltar para uma próxima visita”, disse Catherine.

Adeílson Souza é agricultor beneficiado pelo Projeto INGÁ na Comunidade Batata manifestou a alegria de estar do lado de parceiros e investidores.



 
“Estamos felizes de estarmos juntos com os parceiros, como a USAID, PPA e a diretoria do IJUS. O projeto é muito bom. Quero dizer para aqueles que ainda não estão engajados no projeto, que daqui mais para frente eles terão oportunidade de estarem juntos. O projeto é para dar certo, ele só não pode dar certo se a pessoa não quiser, se quiser, vai dar certo. Na minha propriedade, através do projeto, nós já temos a melancia, que estamos consumindo, o mamão que está dando os frutos e vamos complementar com outras plantas que vão trazer também um recurso financeiro. Vamos implementar com maxixe, jerimum, maracujá”, avaliou.
 
Luciano Andrade também é produtor beneficiado pelo Projeto INGÁ no Sítio Varre Vento, na APA Jará. Ele lembra que antes do projeto, ele plantava em “avulso”, agora a realidade é outra.


 
“A mandioca, a gente plantava e deixava lá, se chovesse tudo bem, se não, tinha que replantar de novo. O Projeto INGÁ veio com ideias legais de plantação e replicamos na mandioca, açaí e outras plantações que fazemos”, lembrou.
 
Segundo Denyse Mello, gerente de projetos da PPA: “Para nós, foi importante a visita à iniciativa Ingá, uma parceria entre PPA, USAID, ALCOA implementada pelo IJUS. A primeira fase do projeto está em finalização e, nesse sentido, viemos realizar a avaliação do desempenho da sua condução, através da percepção dos beneficiários, parceiros locais, e equipe do projeto, assim como identificarmos se os resultados almejados foram alcançados satisfatoriamente. Também aproveitamos a visita para dialogar com parceiros sobre a próxima fase do projeto. Vale ressaltar que ficamos felizes em ter participado do 2º Encontro de Sustentabilidade de Juruti, promovido pelo IJUS, pois tivemos oportunidade de nos apresentarmos à sociedade de Juruti e contribuir na conversa sobre papel das parcerias no desenvolvimento da Amazônia”.


Alcoa Juruti

Ainda como parte das visitas, os parceiros estiveram na Alcoa Juruti e entenderam como funciona o processo de recuperação de áreas mineradas e conheceram o Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS), que é parte de um sistema de gestão e conservação da flora e fauna na área da mineração, uma moderna unidade especializada para o atendimento e recuperação de animais de pequeno, médio e grande portes.

No CRAS, é possível realizar atendimentos de pequena e média complexidade, a partir de uma estrutura completa que dispõe de centro cirúrgico e área para tratamento neonatal. O CRAS tem capacidade para receber até 12 animais de quatro grupos faunísticos – mamíferos, répteis, aves e anfíbios. A unidade é composta, ainda, por ambulatório, farmácia, salas de antissepsia, necropsia e nutrição e uma creche aos filhotes que necessitem de tratamento específico, o que garante maior eficiência ao tratamento realizado. O Centro funciona 24 horas por dia com equipe composta por cinco médicos veterinários e quatro auxiliares.
 
 
Sobre o IJUS
O Instituto Juruti Sustentável (IJUS), reconhecido como Organização de Utilidade Pública pelo Governo do Estado.
 
O IJUS é um espaço público permanente de diálogo, debate e ação coletiva entre seus associados e a sociedade em geral, que visa contribuir para o desenvolvimento sustentável de Juruti e entorno. O Instituto tem por escopo, também, apoiar financeiramente ações, projetos e programas, reembolsáveis ou não reembolsáveis que integrem aspectos sociais, humanos, econômicos e ambientais, através do Fundo Juruti Sustentável-FUNJUS.
 
Sobre o Instituto Alcoa
Fundado em 1990, no Brasil, o Instituto Alcoa é uma entidade sem fins lucrativos, que tem o propósito de transformar coletivamente os territórios em que a Alcoa está presente – Poços de Caldas (MG), São Luís (MA) e Juruti (PA) – a fim de torná-los mais inclusivos e menos desiguais.
 
Para isso, o Instituto Alcoa promove iniciativas em educação e geração de trabalho e renda, causas estruturantes para o desenvolvimento de uma sociedade mais justa, além de incentivar a participação social e o diálogo em torno das causas como forma de mobilização para o engajamento. Sua atuação se conecta às políticas públicas e agendas de interesses globais, como os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).
 
Sobre a USAID
 A USAID é uma das principais agências de desenvolvimento internacional do mundo e um ator catalisador que impulsiona os resultados do desenvolvimento. A USAID trabalha para ajudar a melhorar vidas, construir comunidades e promover a democracia e o desenvolvimento sustentável nos países onde atua.
 
Sobre a PPA
A Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA) é uma iniciativa de ação coletiva multissetorial que visa desenvolver e identificar soluções inovadoras e tangíveis para o desenvolvimento sustentável e a conservação da biodiversidade, florestas e recursos naturais da Amazônia brasileira. Criada no final de 2017, a PPA busca alavancar investimentos de impacto socioambientais positivos na Amazônia brasileira, compartilhar boas práticas e fomentar parcerias inovadoras que integrem todos os setores da sociedade.
Saiba mais em ppa.org.br.
 
Sobre a IEB
O Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB) é uma associação brasileira sem fins econômicos, sediada em Brasília, fundada em novembro de 1998, com a missão de fortalecer os atores sociais e o seu protagonismo na construção de uma sociedade justa e sustentável. O IEB se destaca no cenário nacional por dedicar-se a formar e capacitar pessoas e fortalecer organizações nos diversos aspectos e temas relacionados ao meio ambiente, desenvolvimento e à sustentabilidade.
 
Sobre a IIVR
O Instituto Vitória Régia é      uma Instituição sem Fins Lucrativos, fundada no dia 06 de novembro de dois mil e dois, sendo sua sede e Foro na cidade de Belém, capital do Estado do Pará. Atualmente essa instituição está qualificada como OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público).

O Instituto Vitória Régia foi criado com finalidades Científicas, Tecnológicas e Culturais e atuando principalmente nas questões ambientais, produtivas, educacionais e sociais, e visa estabelecer, através da organização e da formação de grupos de pessoas, medidas estratégicas que viabilizem eventos e ações eficazes na promoção do desenvolvimento sustentável e da melhoria da qualidade de vida.


Portal Obidense  Publicidade 790x90


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp