28/11/2021 às 18h13min - Atualizada em 28/11/2021 às 18h13min

Diagnóstico socioambiental é realizado em comunidades do Peaex Curumucuri de Juruti | Portal Obidense

O trabalho é inédito em Juruti, aconteceu nos dias 20 e 21 de novembro

Da Redação
Projeto Ingá

Através da metodologia “Diagnóstico Rural Participativo (DRP)”, que permite que os próprios comunitários façam seu diagnóstico, 69 pessoas, entre lideranças e moradores de 14 comunidades do Projeto Estadual de Assentamento Agroextrativista (Peaex) Curumucuri de Juruti, participaram de oficinas nos dias 20 e 21, nos polos Batata, Santa Maria e Castanhal.

O diagnóstico socioambiental dos Peaex no município de Juruti é inédito, impulsionando o autodiagnóstico sobre o estado de seus recursos naturais, incluindo a situação econômica, social e outros aspectos importantes para as comunidades.

A metodologia está sendo aplicada pelo Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB), que faz parte do projeto Ingá - Indicadores de Sustentabilidade e Gestão na Amazônia, atuando em frentes diferentes para apoiar na formação do capital humano local, sua autonomia da gestão e liderança do território, proteção e conservação de florestas nativas, restauração de áreas degradadas, apoio ao empreendedorismo e a estruturação do observatório de indicadores de desenvolvimento sustentável em Juruti.

 
Marcelo Alves, analista socioambiental do IEB e responsável pelas oficinas, pontuou o que considera importante dentro do projeto Ingá: Poder ter uma visão de quem realmente mora ali, não é algo construído de cima para baixo. É algo que está sendo construído por eles mesmos. Nesse ponto vamos poder construir junto com eles, assessorar eles a chegarem à autodeterminação dessa comunidade, pela sua participação, e fomentar um desenvolvimento sustentável voltado a realidade deles”, afirmou Marcelo.

Nas oficinas, o público levantou dados ambientais das comunidades da década passada até 2021, bem como desafios sociais e crises, e juntos montaram um mapa bastante rico em detalhes, com percepções, olhar da comunidade. 
 
“Foi boa a participação nesta oficina do projeto Ingá. Eu tenho certeza que iremos nos engajar mais, saber como fazer pra preservar a natureza, fazer nosso plantio, ter mais sustentabilidade em nossa região. Ficamos satisfeitos com a oficina, foi a primeira vez que algo assim foi feito aqui, acredito que foi bom para todos”, diz Maria do Socorro Ferreira, moradora e coordenação da secretaria da comunidade Batata.

A mesma oficina irá acontecer no próximo final de semana para o Peaex Prudente Monte Sinai, desta forma ao final ambos os Peaex poderão ter claro um retrato socioambiental para estabelecer ações práticas de fortalecimento do território, contribuindo com o desenvolvimento sustentável para uma região com mais de 1.800 famílias.

O projeto é coordenado pelo Instituto Juruti Sustentável (IJUS), com investimentos da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID), da Alcoa, do Instituto Alcoa, da Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA), e parcerias do Instituto Vitória Régia (IVR), Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB) e Centro de Internacional de Agricultura Tropical (CIAT).




Diagnóstico individual
Durante o mesmo período, nas comunidades em que ocorreram as oficinas, duas técnicas do projeto aplicaram questionários individuais com os moradores das comunidades. Levantando informações sobre cultivo agrícola, resíduos, educação, água, meio ambiente, programas sociais e manejo. Este diagnóstico individual será aplicado até o final de dezembro chegando a mais de 400 questionários nos territórios dos Peaex.

Esta etapa de coletas de dados primários irá contribuir com as oficinas de Diagnóstico Rural Participativo e resultará em um relatório robusto da realidade local. No final de janeiro, o diagnóstico será apresentado e validado com as comunidades para fechamento do documento final.
 
Sobre o IJUS
O Instituto Juruti Sustentável (IJUS), reconhecido como Organização de Utilidade Pública pelo Governo do Estado.
 
O IJUS é um espaço público permanente de diálogo, debate e ação coletiva entre seus associados e a sociedade em geral, que visa contribuir para o desenvolvimento sustentável de Juruti e entorno. O Instituto tem por escopo, também, apoiar financeiramente ações, projetos e programas, reembolsáveis ou não reembolsáveis que integrem aspectos sociais, humanos, econômicos e ambientais, através do Fundo Juruti Sustentável-FUNJUS.
 
Sobre o Instituto Alcoa
Fundado em 1990, no Brasil, o Instituto Alcoa é uma entidade sem fins lucrativos, que tem o propósito de transformar coletivamente os territórios em que a Alcoa está presente – Poços de Caldas (MG), São Luís (MA) e Juruti (PA) – a fim de torná-los mais inclusivos e menos desiguais.
 
Para isso, o Instituto Alcoa promove iniciativas em educação e geração de trabalho e renda, causas estruturantes para o desenvolvimento de uma sociedade mais justa, além de incentivar a participação social e o diálogo em torno das causas como forma de mobilização para o engajamento. Sua atuação se conecta às políticas públicas e agendas de interesses globais, como os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).
 
Sobre a USAID
 A USAID é a principal agência de desenvolvimento internacional do mundo e um ator catalisador que impulsiona os resultados do desenvolvimento. A USAID trabalha para ajudar a melhorar vidas, construir comunidades e promover a democracia. O trabalho da USAID promove a segurança nacional e a prosperidade econômica dos Estados Unidos, demonstra generosidade americana, e promove um caminho para a autossuficiência e resiliência do receptor.
 
Sobre a PPA
A Plataforma Parceiros Pela Amazônia (PPA) é uma plataforma de ação coletiva do setor privado para fomentar novos modelos de desenvolvimento sustentável na Amazônia. Seu objetivo é desenvolver e identificar soluções tangíveis e inovadoras para a conservação da biodiversidade e recursos naturais da Amazônia, assim como garantir a qualidade de vida das comunidades da região.
 
Sobre a IEB
O Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB) é uma associação brasileira sem fins econômicos, sediada em Brasília, fundada em novembro de 1998, com a missão de fortalecer os atores sociais e o seu protagonismo na construção de uma sociedade justa e sustentável. O IEB se destaca no cenário nacional por dedicar-se a formar e capacitar pessoas e fortalecer organizações nos diversos aspectos e temas relacionados ao meio ambiente, desenvolvimento e à sustentabilidade.
 
Sobre a IIVR
O Instituto Vitória Régia, é uma Instituição sem Fins Lucrativos, fundada no dia 06 de novembro de dois mil e dois, sendo sua sede e Foro na cidade de Belém, capital do Estado do Pará. Atualmente essa instituição está qualificada como OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público).

O Instituto Vitória Régia foi criado com finalidades Científicas, Tecnológicas e Culturais e atuando principalmente nas questões ambientais, produtivas, educacionais e sociais, e visa estabelecer, através da organização e da formação de grupos de pessoas, medidas estratégicas que viabilizem eventos e ações eficazes na promoção do desenvolvimento sustentável e da melhoria da qualidade de vida.


 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp