04/08/2016 às 09h56min - Atualizada em 04/08/2016 às 09h56min

Diversidade biológica e patrimônio natural fazem de Santarém a joia do Tapajós

Em nossa Amazônia a diversão é completa e supernatural, para quem gosta de aventura, sombra e água fresca.

Agencia Pará
Fotos:Agencia Pará

SANTARÉM - As dimensões continentais e a localização conferem ao Pará características singulares. Segunda maior entidade federativa, com 1.248.000 km², o estado se destaca pelos contrastes naturais e culturais que oferecem ao visitante um amplo leque de opções para o lazer e turismo. Em uma mesma região é possível encontrar atrativos que vão de lagos e igarapés, passando por praias paradisíacas até trilhas por entre serras e cachoeiras, cenários esses em que fauna e flora se mostram sempre exuberantes. E entre os seis polos turísticos do Pará, o Tapajós surge como um dos roteiros mais fascinantes.

Um dos destinos mais conhecidos nessa região é Santarém, aonde o turista pode chegar por estrada, por rio ou via aérea – o modal mais rápido. Do Aeroporto Internacional de Belém saem vôos diários para a cidade e a viagem dura, em média, uma hora.

Entre os muitos encantos da "Pérola do Tapajós", como é conhecida a cidade, está a praia de Alter do Chão, nome dado em homenagem à cidade homônima que fica em Portugal. Também chamada de "caribe brasileiro", a vila balneária é uma das mais procuradas por turistas de todas as partes do Brasil e do exterior.

O acesso até a vila é feito pela PA-457 em um trajeto de cerca de 30 quilômetros saindo de Santarém. A rodovia é asfaltada, o que garante maior segurança e rapidez no deslocamento. Para fazer o trajeto de taxi, o turista terá que desembolsar, em média, R$ 200,00, mas quem quiser economizar tem a opção de uma linha de ônibus que sai da cidade a cada meia hora em direção ao balneário, com passagens a R$ 3,00. A travessia da orla para a faixa de areia que surge quando as águas do Tapajós começam a baixar, a partir do mês de agosto, é feita pelas catraias, pequenas canoas com capacidade para quatro pessoas, a um custo de R$ 5,00.

Quem também se encantou com o cenário foram os manauaras Eduardo Lira e Jaqueline Araújo. O casal já pensa até em deixar a capital amazonense e começar uma nova vida em solo paraense. "Alter do Chão tem muito a oferecer ao visitante. Esse lugar é de uma beleza imensurável, não há como descrever. Pretendo voltar muitas vezes e confesso que  já avalio a possibilidade de morar aqui", disse Lira. "Trocaria Manaus por Santarém hoje mesmo", reforçou.

No mês de setembro, a vila de Alter do Chão se transforma em palco de umas das maiores manifestações da cultura popular local: a festa do Çairé. Tradição de quase 300 anos, o festival mistura elementos religiosos e profanos, marcados pela tradicional disputa dos botos Tucuxi e Cor de Rosa. A festividade é realizada sempre no mês de setembro. Em 2014, os grupos ganharam galpões que servem para os ensaios e abrigam as alegorias e fantasias confeccionadas para o evento. O espaço foi construído próximo ao Çairódromo, no bairro Nova União, onde os grupos se apresentam. A obra recebeu investimento de R$ 1,5 milhão do governo do Estado.

O centro de Santarém também tem seus encantos. A orla da cidade ainda guarda os casarões antigos, museus e também reúne as feirinhas que mostram um pouco do artesanato local, como a cerâmica tapajônica e os emblemáticos muiraquitãs, usados como amuletos e símbolos de poder pelos povos Tapajós e Konduri, que habitavam o Baixo Amazonas.

Santarém é a terceira maior cidade do Pará e o principal centro socioeconômico do oeste do estado. O município possui a melhor infraestrutura da região, com hotéis e pousadas que oferecem diárias a partir de R$ 60, dependendo da localização e comodidade. Dispõe, ainda, de escolas, hospitais, universidades, estradas, portos, aeroportos, atividade portuária intensa e uma ampla rede de serviços, incluindo os de saúde, que tem no Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA) sua principal referência.

O complexo médico abriga a maior UTI pública do interior do Pará e foi o primeiro hospital público do Norte do país a obter o certificado máximo de qualidade da Organização Nacional de Acreditação (ONA), concedido mediante o cumprimento das melhores práticas hospitalares e de qualidade assistencial.

Como chegar:

- Santarém: A rota mais rápida é por avião, pelo Aeroporto Internacional de Belém, com voos diários. Mas é possível acessar o município também por estrada e por barco.

Onde ficar:

Santarém possui uma estrutura hoteleira desenvolvida, onde se consegue diárias a partir de R$ 100,00, dependendo do local escolhido

Alimentação:

Os municípios da região oferecem um cardápio variado de peixes, com destaque para o pirarucu, tambaqui e tucunaré. Há restaurantes com alimentação bem acessível onde o quilo custa a partir de R$ 39,00.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual BANDA ou CANTOR que vc gostaria de ver num Grande Evento Paraense em 2020 em Manaus

2.4%
22.5%
10.3%
1.5%
0%
0%
15.2%
1.8%
0.6%
34.3%
1.2%
4.0%
4.0%
2.1%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp