19/07/2016 às 16h38min - Atualizada em 19/07/2016 às 16h38min

“Triunfo”, união, garra e bom futebol garantem o Bí da "família Obidense" em Prainha

Conheça um pouco da trajetória dos Campeões do Oeste, da incerteza da classificação, da união do grupo, do apoio incondicional da torcida, do título e da volta para casa com a taça.

Por: José Augusto Garcez
Fotos: Arquivo do Portal

ÓBIDOS - Em 2015, a seleção obidense de futebol fazia uma campanha decepcionante na Copa Oeste de Seleções. Quem em sã consciência apostaria que, um ano depois, Óbidos daria volta por cima e seria campeã da Copa Oeste pela segunda vez?

Sim, havia uma pessoa. Seu nome: “Joaquim Alves Figueira”. Apesar dos seguidos maus resultados da equipe, que estava até ameaçada de ficar de fora da Copa Oeste, o presidente da LDO (Liga Desportiva Obidense) mostrava confiança e garantia que Óbidos participaria da copa e que em 2016 vinha para brigar pelo título. Passado o pesadelo da dúvida de participar ou não, Manoel Senair e Renildo Andrade começaram a reconstruir a equipe. Sem grandes esperanças de ver Óbidos conquistar o título, a torcida criticava a convocação, pedindo nomes que não constavam na lista, até o técnico era questionado. Firme, o técnico não cedeu. Em vez de chamar os relacionados por alguns torcedores,

apostou na recuperação de Jiló, que vinha de atuações ruins em competições por Óbidos, manteve suas convicções até o fim e foi recompensado.

As dúvidas aumentaram quando os adversários foram informados, - a seleção caiu no grupo B, ao lado das campeãs Oriximiná, Juruti e da atual vice-campeã Curuá. Com isso, as desconfianças aumentaram mais ainda.

A estreia diante de Curuá, fora de casa, foi um aviso das pretensões de nossa seleção na copa. Óbidos saiu na frente, cedendo empate no finalzinho da partida. A segunda partida seria com a temida Oriximiná em casa. A vitória por 4 a 1 devolveu as esperanças da torcida e começou a aproximar a torcida ao time. A terceira adversária era a atual campeã da copa, Juruti fora de casa. Primeiro placar heroico da equipe, Óbidos vence os campeões por 1 a 0 e ganha a liderança do grupo.

Nas três outras partidas da primeira fase, perdemos para Curuá em casa por 1 a 0, empatamos sem gols com Oriximiná fora, e teríamos a chance de brigar por vaga contra Juruti em

casa, na última partida. A partida foi emocionante, Nicoleto abre o placar aos 12 do segundo tempo, naquele momento a vaga era de Óbidos, Juruti empata com Belo aos 33 e tirava a vaga de Óbidos com o resultado. Mais aos 45, Durú toca de cabeça e marcar o gol da vitória e classificação de Óbidos as semifinais.

No dia 25 de junho, a Copa finalmente chegava a semifinal. O adversário era Santarém, campeã do grupo A. O duelo teve um primeiro tempo primoroso da seleção obidense. Abriu 3 a 0 na primeira etapa, teve o famoso apagão na segunda etapa e viu Santarém diminuir o placar fazendo dois gols. Tudo seria resolvido em Óbidos dia 02 de julho. Chegado o dia, novo apagão na segunda etapa. Óbidos termina a primeira etapa na frente, mais sofre dois gols e perde a chance de classificação nos 90 minutos. “Estava agendado tudo o que iria acontecer, aquele sofrimento nas cobranças de penalidades serviria para aproximar mais o torcedor de sua seleção, a partir dali, torcedor e atletas estavam casados no objetivo da conquista”. A vitória sofrida nas penalidades colocava Óbidos novamente em uma final de copa oeste, depois de 29 anos. Torcida enlouquecida com seu time, entraram em campo e confraternizaram junto com seus heróis. “Que venha Prainha agora, diziam alguns”. Suada, a vaga a final só veio após 13 cobranças de penalidades, graças a uma vitória heroica por 3 a 2 sobre Santarém, em Santarém. Em Óbidos na partida de volta, sangue frio dos atletas nas cobranças

, experiência e muito treinamento da “Muralha Jalico” na trave, além é claro, da grande força que vinha da torcida nas arquibancadas.

Dia 9 de julho, primeira partida da final da copa em Óbidos, os torcedores chegavam aos montes, enchiam as arquibancadas, cantavam e incentivavam seus jogadores. Tudo dependia de um ótimo resultado naquela noite para que o sonho continuasse. Jogador e Torcida continuavam em perfeita sintonia, o casamento encaminhava-se para uma bela lua de mel.

Primeira partida da grande final

Começa a partida, nervos à flor da pele, é neste momento que mais precisamos de heróis para nos fortalecer e devolver as esperanças até pouco tempo inexistentes. Apagado na copa até então, Jiló, aposta da comissão técnica, foi um dos destaques da vitória sobre Prainha por 3 a 1 na primeira partida da final - justamente na partida final. Prainha aproveita falha de posicionamento no início do jogo, é melhor, mais Manoel Senair atento, muda posicionamento e Óbidos equilibra. A vitória começa aos 24 minutos da primeira etapa com Nicoleto. Aos 27, Cobra empata. Mais a tarde era mesmo de Gunga, o centroavante obidense marca ao 15 e 30 minutos e dá a Óbidos boa vantagem na segunda partida, em Prainha.

Segunda partida da grande final

Tranquilidade para sair jogando, resistência as ofensivas de Prainha e muito toque de bola. Assim foi o começo de Óbidos na vitória por 1 a 0 sobre a forte seleção de Prainha. Calmo atrás e muito veloz na frente – com um trio ofensivo formado por Jiló, Gunga e Nicoleto na segunda etapa, o time definiu o resultado com um gol marcado aos 28 minutos. Como aconteceu em Óbidos, Jiló entrou bem e teve grande participação no gol. O garotinho faz bela troca de passes com Fino pela esquerda, ganha do setor defensivo adversário, toca para Gunga, este chuta prensado e bola sobra para o artilheiro Nicoleto que não perdoa, marca e deixa seu nome na história do futebol obidense, junto com seus companheiros de seleção.

O gol da partida foi construído com vários toques na bola. O lateral esquerdo Fino deu o primeiro passe em direção a Jiló. Com muita tranquilidade, o meia atacante Jiló devolveu a bola na esquerda para Fino, os dois trocam vários passes até Jiló mirar da direção de Gunga, este chuta prensado. Artilheiro abençoada sempre está no lugar certo, “Nicoleto Salvador” aparece de surpresa e chuta para decretar o título obidense na 2ª Copa de Seleções do Oeste do Pará.

Equilíbrio entre fortes – Óbidos superior na parte final da competição

Foi o 10º jogo das duas seleções na copa, equilíbrio conquistado nas duas partidas da final. Prainha tinha a melhor campanha até as semifinais, com as duas vitórias na final, o selecionado obidense chegou aos mesmos 20 pontos do adversário, ambas com 6 vitórias, dois empates e duas derrotas. A diferença ficou nos gols. Óbidos teve o melhor ataque com 16 gols, enquanto Prainha marcou 12 vezes. Prainha teve a melhor defesa, sofrendo 6 gols, destes 4 do selecionado obidense, enquanto Óbidos sofreu 9 gols. Óbidos leva vantagem no saldo de gols. 7 gols contra 6 de Prainha. O aproveitamento das duas seleções no geral foi de 66,7%.

Clubes

Pt

Jg

V

E

D

GM

GS

SG

%

Óbidos

20

10

6

2

2

16

9

7

66,7

Prainha

20

10

6

2

2

12

6

6

66,7

A satisfação com as atuações da seleção contagiava a toda a torcida. O time sofreu muito mais foi capaz de resistir as ofensivas de Prainha que teve maior posse de bola na partida

. A seleção teve tranquilidade para sair jogando com a bola no chão, esperar o momento certo de contra atacar. Em alguns momentos a ansiedade pelo final da partida deixava um certo nervosismo nos atletas da seleção. Vários cartões foram distribuídos, mais no final, tudo certo. Óbidos vence e leva para os “Pauxis” o troféu de campeão da 2ª Copa Oeste de Seleções.

“O verdadeiro campeão vence calado por que sabe que é no silêncio
que encontra o autocontrole e sabe também que o pódio é só uma questão de tempo e disciplina ... lá vão estar pessoas que gritarão seu nome e outras que ficarão em silêncio descontroladas. Sempre lute com garra e determinação pelos seus ideais. O Verdadeiro Campeão é aquele que acredita na Vitória!”

Tabela dos jogos de Óbidos e Prainha

 

Jogo

Dia

Hora

Clube

Placar

Clube

1ª Rodada

14/mai

16:30

Prainha

0

X

0

Monte Alegre

 

14/mai

16:30

Curuá

1

X

1

Óbidos

2ª Rodada

21/mai

17:00

Almerim

0

X

2

Prainha

 

21/mai

17:00

Óbidos

4

X

1

Oriximiná

3ª Rodada

28/mai

16:00

Prainha

1

X

1

Alenquer

 

28/mai

16:00

Juruti

0

X

1

Óbidos

4ª Rodada

04/jun

16:00

Óbidos

0

X

1

Curuá

 

04/jun

16:00

Monte Alegre

0

X

1

Prainha

5ª Rodada

11/jun

20:00

Prainha

3

X

0

Almerim

 

11/jun

20:00

Oriximiná

0

X

0

Óbidos

6ª Rodada

18/jun

17:00

Alenquer

1

X

2

Prainha

 

18/jun

18:00

Óbidos

2

X

1

Juruti

               

Semi finais

 

Dia

Hora

Clube

Placar

Clube

25/jun

16:00

Santarém

2

X

3

Óbidos

 

25/jun

19:30

Monte Alegre

0

X

1

Prainha

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dia

Hora

Clube

Placar

Clube

02/jul

17:00

Óbidos

1(12)

X

2 (11)

Santarém

 

02/jul

17:00

Prainha

1

X

0

Monte Alegre

 

 

 

 

 

 

 

 

Final

09/jul

18:15

ÓBIDOS

3

X

1

PRAINHA

10º

16/jul

16:00

PRAINHA

0

X

1

ÓBIDOS

CAMPEÃO DA COPA OESTE DE 2016 - SELEÇÃO OBIDENSE


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual BANDA ou CANTOR que vc gostaria de ver num Grande Evento Paraense em 2020 em Manaus

2.3%
22.5%
10.2%
1.8%
0%
0%
15.2%
1.8%
0.6%
33.3%
1.8%
3.8%
4.7%
2.0%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp