03/07/2016 às 15h12min - Atualizada em 03/07/2016 às 15h12min

29 anos depois, Óbidos é novamente finalista da Copa Oeste de Seleções

Derrota de Óbidos para Santarém no tempo normal por 2 a 1 tem apagão na segunda etapa, pane defensivo e "São Jalico" garantido a vaga na final.

Por: José Augusto Garcez
Fotos: José Augusto Garcez

ÓBIDOS - Derrotado nos 90 minutos, Óbidos teria que superar o adversário nas penalidades se quisesse continuar sonhando com a final da copa. Empurrado pela torcida que mais uma vez lotou o Aryzão, o triunfo veio após a décima terceira cobrança de pênaltis. Foi suado e cheio de emoções, assim foi à classificação da seleção obidense a final da Copa Oeste de Seleções. O selecionado obidense precisou suar em campo, além de ter que aturar a má atuação do árbitro oriximinaese Fredison Soares.

Óbidos dominou a primeira etapa com disciplina tática perfeita. O esquema montado por Manoel Senair, o famoso 4 x 4 x 2, teve a volta de Fino a lateral esquerda, dando mais poder de marcação e melhor troca de passes, Bery ao lado de Duruti no setor de marcação no meio, liberando Salsicha e Max na criação. O problema continua sendo a pontaria. O ataque e habilidoso e veloz, além de muita raça,

mais em alguns momentos decisivos, desperdiçam chances claras de gols. Nesta partida fez falta e por pouco não perdemos a classificação.

Santarém mostrou mais uma vez que é um visitante indigesto, ainda não perdeu fora de casa nesta copa. Para superar o selecionado obidense por 2 a 1, de virada na tarde noite de sábado (2), no Aryzão, o time santareno contou com ajuda da arbitragem, falha do setor defensivo obidense e falta de pontaria no ataque, além das várias oportunidades desperdiçadas na primeira etapa. Poderia até ter sido mais fácil pelo desempenho do primeiro tempo, mais o time obidense tem tido queda de rendimento na segunda etapa nas últimas partidas. Já tinha sido assim em Santarém, após estar vencendo por 3 a 0, quase cede o empate no final. O time de Manoel Senair abriu 1 a 0 antes do intervalo, mas cedeu o empate aos 18 da etapa final e a virada aos 26. Nas cobranças venceu por 12 a 11. Pombique errou para Óbidos, enquanto Taylor e Saulo erraram para Santarém.

Veja o Pacotão da classificação Obidense a final da Copa Oeste

Nome do jogo

Jalico foi o destaque da classificação obidense. Defendeu dois pênaltis e converteu o seu nas penalidades. Em alguns momentos na partida, foi fundamental fazendo defesas que evitaram o placar desfavorável mais elástico para o adversário, que tiraria de Óbidos a classificação. Uma delas no final da partida, aos 43 minutos, defendendo chute de Ricardo, a bola ainda tocou no poste esquerdo antes de sair. No final da partida o goleiro foi carregado pela torcida que invadiu o campo para comemorar com os jogadores.

Intencional ou falta de capacidade     

A lambança do árbitro Fredison Soares Leite, por pouco não atrapalhou o grande trabalho realizado pelo grupo formado para defender o nome de Óbidos na Copa Oeste de 2016. Errou ao não expulsar o zagueiro Binga em jogada violenta, como o jogador já tinha amarelo, foi somente advertido para não aplicar o segundo amarelo e o vermelho em seguida. Depois completou a lambança marcando um pênalti que não existiu em jogada normal com Paulinho e Ricardo.

A torcida, show a parte.

Que o Obidense é apaixonado por futebol todos sabemos, mais o que tem sido visto nesta copa é a entrega total em prol de um grupo. Lotam o estádio, cantam, aplaudem, empurram seu time nos 90 minutos, mesmo quando o time hiberna na segunda etapa. Nesta partida, Paulinho falhou no segundo gol Santareno, mais no momento em que o zagueiro foi para a cobrança da penalidade, ele foi aplaudido, o torcedor entendeu que o jogador precisava de confiança para marcar o gol. E aconteceu.              

De novo ela... A bola aérea.               

A bola aérea foi um sufoco nesta partida, com estatura maior, os jogadores de Santarém levavam vantagem em bolas alçadas na área, mesmo assim as insistências nos cruzamentos eram constantes, Vandeco, Binga e Taylor levavam vantagem sempre.

Os gols

Óbidos marcou aos 42 da primeira etapa, Nicoleto recebe lançamento em velocidade, se livrou de três zagueiros e tocou na saída de Magrão. Aos 18 da segunda etapa, Taylor marcou em cobrança de pênalti. Aos 26 aconteceu a virada de Santarém com Pancheta, após falha do setor defensivo.

Erros de finalização

A seleção obidense tem se postado bem em campo na primeira etapa, o setor defensivo marca em cima e sufoca o adversário. Os toques de bola no meio campo tem deixado o selecionado obidense com maior posse de bola e a alimentação de jogadas com o ataque tem fluído bem, mais o problema chega na hora da finalização. Com maior posse de bola e domínio nas partidas, não estão terminando em gols as jogadas criadas, as finalizações precisam ser mais efetivas se Óbidos quiser realmente o título. Um gol dos desperdiçados na partida de sábado teria evitado todo o sofrimento nas penalidades.

Emoção em campo e nas arquibancadas

O que se viu no Aryzão nesta partida foi o amor de uma torcida pela sua seleção, não deixaram de apoiar mesmo quando a seleção já estava perdendo. Nas penalidades a emoção aflorou, gritavam o nome dos jogadores obidenses durante cada cobrança e gritavam “ERROU”, sempre que um jogador santareno ia para a cobrança. No final das cobranças com a vitória de Óbidos, grande parte dos torcedores invadiu o gramado e carregaram o goleiro Jalico e outros faziam questão de tirar fotos com seus heróis e abraça-los. É muita paixão. O torcedor já merece este título.

O coração

Todos no estádio se emocionaram com o desenrolar da partida. O que parecia fácil, tornou-se um tormento. O resultado poderia ter sido conquistado na primeira etapa, onde Óbidos dominou, Santarém pouca chances teve e os erros de finalização atrapalharam o desfecho de algumas jogadas. As emoções começaram aos 17 minutos da etapa final, Fredison marca pênalti e Taylor guarda para Santarém. Aos 26 aumenta com a virada de Santarém. Mesmo assim o estádio não calou, o “DÉCIMO SEGUNDO JOGADOR OBIDENSE” fez a diferença nas arquibancadas, apoiou a equipe até o final. Até quem estava trabalhando na partida se emocionava a cada cobrança. Para piorar, Pombique perde a quinta cobrança, agora era Taylor marcar e Santarém classificava. Ai apareceu o “São Jalico”, o goleiro defende e coloca Óbidos na disputa novamente. As cobranças continuaram até Saulo perder a Décima terceira cobrança de Santarém e explodir de felicidade o torcedor obidense, no estádio, em casa escutando a partida e em todo lugar onde tiver um obidense, na escuta da partida via internet. Com emoção é bom, mais desta vez foi teste para cardíaco. Mais valeu a pena, quanto mais sofrido, mais valor tem a conquista.

Ficha técnica:

Seleção de Óbidos (1) (12): Jalico, Éder (Pombique), Paulinho, Marlison, Fino, Duruti, Bery, Salsicha (Durú), Max (Pelado), Gunga (Felipe Carioca) e Nicoleto. Técnico: Manoel Senair, Aux. Técnico: Renildo Andrade.

Seleção de Santarém (2) (11): Magrão, Jean, Vandeco, Binga, Esquerdinha (Tutico), Taylor, Diogo (Saulo), Mereré (Brendo), Limão (Edan), Pancheta e Ricardo. Técnico: Tomé Guimarães.

Arbitragem:

Árbitro: Fredison Soares Leite (Oriximiná)

Auxiliares: Simone Alves e Ana Cleide Miléo (Oriximiná)

Quarto árbitro: Jackson Henrique (Óbidos)

Delegada da partida: Josilene Alves

Cartões Amarelo: Binga e Edan (Santarém), Jalico (Óbidos)

Gols: Nicoleto (Óbidos), Taylor e Pancheta (Santarém)

Renda: R$ 9.130,00


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual BANDA ou CANTOR que vc gostaria de ver num Grande Evento Paraense em 2020 em Manaus

2.4%
22.5%
10.3%
1.5%
0%
0%
15.2%
1.8%
0.6%
34.3%
1.2%
4.0%
4.0%
2.1%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp