28/10/2018 às 11h18min - Atualizada em 28/10/2018 às 11h18min

Em Oriximiná Delegado Fonseca da Polícia Civil fala sobre a prisão do acusado de matar o comerciante Edvan Teixeira

Wellington Ferreira dos Santos, foi preso na PA 254, quando fugia para Óbidos, mesmo fugindo ele alega inocência.

Por: Márcio Garcia
Foto: Márcio Garcia
ORIXIMINÁ – A pós a prisão do principal suspeito do assassinato do comerciante Edvan Teixeira, que repercutiu em todo o estado do Pará, principalmente em Oriximiná, cidade onde aconteceu o fato. Destaque para o trabalho em conjunto da polícia Civil e Militar, que fizeram uma mega operação, e em menos de 48hs conseguiram chegar ao principal suspeito que nega a autoria.

Nosso correspondente em Oriximiná, Marcio Garcia falou com exclusividade com o delegado Fonseca, que relatou o trabalho da polícia e a prisão do suspeito: “Imediatamente após o cometimento do crime, nossa equipe foi ao local, fizemos os procedimentos, colhemos as primeiras informações, modos operantes, como eles atuaram e começamos fazer diligencia para obter imagem para revelar qual era a vestimenta, tipo de motocicleta que eles estavam utilizando, a partir desse momento de posse das características físicas, logramos em identificar a placa da motocicleta e o condutor, assim como o proprietário da moto, acontece que o proprietário não era quem estava pilotando e sim o responsável pela realização dos disparos da garupa da motocicleta, então fizemos inúmeras diligências, contamos com o apoio da polícia militar, cercamos vários imóveis de onde ele poderia estar, infelizmente conseguiu escapar. Ontem a noite tivemos informações eu ele estaria fugindo para a cidade de Óbidos, montamos uma diligência a uns 10km aqui da cidade em um ponto de passagem obrigatória, ele passou por lá nossa equipe interceptou o automóvel, ele ainda tentou empreender fuga, mas foi contido pelos policiais, agora ele está aqui na delegacia”

Após a prisão, informou o delegado, que ele nega o fato, e que apenas tinha emprestado a motocicletas, para a pessoas realizar esse crime, ele ainda tentou destruir o aparelho celular que estava com ele provavelmente eliminando provas.

O delegado informou que ainda estão investigando para saber quem é a outra pessoas que estava conduzindo a motocicleta na hora do crime, que tem a coautoria do homicídio, a polícia ainda não sabe quem é o piloto.

O preso também é acusado de matar outra pessoa de nome Melk, o delegado pede apoio e compreensão da população: “Nosso trabalha aqui é... um trabalho duro, intensivo, estamos nos desdobrando para darmos uma resposta a população e de imediato, acerta desses crime bárbaros e contamos com apoio da população... A população tem que entender que a polícia é parceiras, estamos aqui pra somar com a população, as pessoas de bem, as pessoas que acordam cedo para trabalhar, que tem uma vida digna... agente tem que combater a criminalidade essas pessoas que estão se insurgindo contra a lei, as norma e a sociedade”.

A moto e a arma do rime ainda não foi localizada, o delegado informa que irão descobrir assim como o coautor desse crime bárbaro.  

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual BANDA ou CANTOR que vc gostaria de ver num Grande Evento Paraense em 2020 em Manaus

2.3%
22.3%
10.1%
1.7%
0%
0%
15.3%
1.7%
0.6%
33.8%
1.7%
3.8%
4.6%
2.0%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp