20/07/2018 às 10h05min - Atualizada em 20/07/2018 às 10h05min

Comunidades quilombolas de Oriximiná fecham acordo para reconhecimento das terras

Publicação o comprova o diálogo e o avanço do processo de titulação dos territórios

Foto: Comunicação MTN
ORIXIMINÁ - As comunidades quilombolas do Alto Trombetas I e II, o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (Icmbio), Ministério do Meio Ambiente (MMA) e Fundação Cultural Palmares alcançaram um acordo histórico. Nesta quinta-feira (19/07), o Incra publicou as portarias de reconhecimento e declaração dos territórios, de acordo com a reunião realizada no início de junho, na qual as partes assinaram um termo de compromisso, visando garantir a sustentabilidade das comunidades quilombolas, bem como a conservação e proteção da biodiversidade.

Por meio das portarias, as comunidades do Alto Trombetas I e II, situadas no município de Oriximiná (PA), recebem o Contrato de Concessão de Direito Real de Uso (CCDRU), referente à parte da área da Floresta Nacional (Flona) de Saracá-Taquera, sobreposta às terras reivindicadas. Esta é a fase anterior à titulação definitiva de terras. O documento garante a posse da terra às famílias até que sejam concluídas as discussões referentes à sobreposição da Reserva Biológica (Rebio) do Rio Trombetas nos territórios. A titulação é a última etapa para a garantia de terras dos quilombolas.

“Hoje estamos em um momento festivo, depois de 25 anos de luta em que muitas vezes esse momento pareceu impossível. A portaria surgiu de um diálogo entre o governo e quilombolas. Sabemos que existe um caminho longo a ser percorrido, mas certamente foi uma conquista importante. Em agosto, teremos uma nova reunião para elaborar um cronograma de atividades entre Icmbio, Incra e comunidades para definir diretrizes desta CCDRU”, comenta Manoel Siqueira, o diretor da Associação de Remanescente de Quilombo do Alto Trombetas II (ACRQAT).  

A Mineração Rio do Norte (MRN), ao longo dos anos, vem apoiando as comunidades do Alto Trombetas I e II, que fazem parte da sua área de influência, no processo de titulação das terras, oferecendo todo suporte logístico durante as negociações com o governo. 

Sobre a MRN:
A Mineração Rio do Norte (MRN) é a maior produtora brasileira de bauxita, matéria-prima do alumínio. Uma empresa constituída por uma associação de empresas nacionais e estrangeiras que desde 1979 opera em plena Amazônia, no oeste do estado do Pará. Nosso negócio é extrair, beneficiar e comercializar bauxita. Temos como valores segurança e saúde. Nosso compromisso é gerar desenvolvimento econômico com respeito ao homem e à natureza.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual BANDA ou CANTOR que vc gostaria de ver num Grande Evento Paraense em 2020 em Manaus

2.3%
22.5%
10.2%
1.8%
0%
0%
15.2%
1.8%
0.6%
33.3%
1.8%
3.8%
4.7%
2.0%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp