24/08/2017 às 08h57min - Atualizada em 24/08/2017 às 08h57min

Em nota ARCON-PA, informou que “Comandante Ribeiro” não tinha autorização para transporte de passageiros. 40 estão desaparecidos

Até o momento 35 pessoas foram resgatadas sendo 25 sobreviventes e 10 corpos. Dois inquéritos foram abertos, um pela Policia Civil e outro pela Marinha.

Por: Márcio Garcia
Fotos: Reprodução rede sociais

PORTO DE MOZ – ARCON-PA (Agência de Regulação de Serviços Públicos do Estado do Pará), informou por meio de nota que a embarcação "Capitão Ribeiro" que naufragou na madrugada desta quarta-feira (23), no Rio Xigu não estava legalizada para fazer o transporte de passageiros.

Segundo o corpo de bombeiros, no momento do naufrágio haviam cerca de 70 pessoas na embarcação, porém esse número não se sabe a exatidão ou como confirmar, pois até o momento não foi apresentada uma lista de passageiro ou de sua existência.

Entenda o Caso: Click – Naufrágio no Pará

A embarcação “Comandante Ribeiro” saiu de Santarém, com escala nos municípios de Monte Alegre, Prainha e Porto de Moz e destino final em Vitória do Xingu. A embarcação naufragou em uma área denominada de Ponte Grande do Xingú, localizada entre Governador José Porfírio e Porto de Moz.

Relato de sobreviventes

Bruno Costa, um dos sobreviventes contou como fez para sobreviver: “Graças a Deus, estou muito bem, mas tive momentos terríveis em minha vida. Era por volta de 21h30 (de terça), quando começou uma tempestade muito forte. De repente, o barco começou a estalar e a afundar”. Segundo Costa, a lona amarrada em uma parte da embarcação para que a água da chuva não molhasse as pessoas impediu muita gente de sair do barco, provocando pânico entre os passageiros. Costa relata que conseguiu pegar uma criança de 2 anos, embora estivesse sem colete salva-vidas, quando outro passageiro, na agonia de escapar, projetou-se sobre ele, rasgando suas roupas. “Eu fui para o fundo com a criança nesse momento, mas ao voltar à superfície vi várias pessoas perto de mim, gritando. Peguei um colete e me mantive na superfície, conseguindo também salvar a criança. Mas outras pessoas não tiveram a mesma sorte. Agradeço a Deus por estar vivo.”

Segundo depoimento de outro sobrevivente, após o naufrágio, foram nadando e conseguiram chegar até as margens do rio por volta das 3h da manhã desta quarta-feira.

“Foi um desespero total, estava muito escuro, não sabia se no barco haviam coletes salva-vidas”. Disse um sobrevivente.

Resgatados

O Capitão Ribeiro foi içado do fundo do rio no começo da tarde desta quarta e o trabalho se concentrou na entrada dos mergulhadores para fazer uma varredura na tentativa de localizar pessoas presas dentro de compartimentos da embarcação. Além disso, lanchas e barcos procuram sobreviventes às margens do rio. As buscas devem ser retomadas na manhã desta quinta. 

Vítimas

Segundo informações, entre os dez mortos confirmados, há seis mulheres, dois homens (está o comandante da embarcação) e duas crianças. As vítimas do naufrágio estão sendo levadas para o hospital municipal de Porto de Moz. Equipes do Instituto Médico Legal (IML) de Altamira estão se deslocando para a localidade para tentar identificar os corpos.

As buscas continuam

O governo do Pará informou que as buscas irão continuar por toda a noite de quarta-feira e madrugada de quinta. Marinha, corpo de bombeiros, vários voluntários, mais a polícia Civil trabalham no caso.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual BANDA ou CANTOR que vc gostaria de ver num Grande Evento Paraense em 2020 em Manaus

2.4%
22.5%
10.3%
1.5%
0%
0%
15.2%
1.8%
0.6%
34.3%
1.2%
4.0%
4.0%
2.1%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp