21/12/2023 às 15h45min - Atualizada em 21/12/2023 às 15h45min

Técnica que gera renda e ameniza impactos ambientais

prática que, apesar de não ser nova, tem ganhado fama por conta das técnicas sustentáveis e processo ambientalmente correto que ela promove

Da Redação
Portal Obidense

BELÉM - Mais de 200 copos plásticos que iriam para o lixo foram transformados, pelas mãos habilidosas de Georgeana Teixeira, em dois belos “bonecos de neve”, que passaram a compor a decoração natalina de um dos andares do prédio do Sistema FIEPA, em Belém. Gina, como é mais conhecida, costuma transformar materiais que seriam descartados em algo útil, para ganhar uma renda extra e, principalmente, para conscientizar as pessoas a respeito da preservação do meio ambiente.

Hoje funcionária do Instituto Euvaldo Lodi (IEL/PA), onde atua como auxiliar de serviços gerais, Gina sempre esteve envolvida com o trabalho de reaproveitamento. “Tudo que eu vejo na rua e acho que posso reaproveitar eu levo para casa. Frasco de xampu, rolinho de papel higiênico, potes de sorvetes... Tudo eu transformo em utensílios de decoração, enfeites de roupas, suportes para materiais de escritório, guarda-maquiagem, quadros. Dos materiais que as pessoas descartam, tem muita coisa que dá para fazer”, comenta.

Em cada produto vendido ou presenteado, Gina entrega junto a mensagem da consciência ambiental. “Além de ser algo que eu gosto muito de fazer, eu penso no meio ambiente, pois os materiais que eu pego para fazer esse trabalho demoram muito para se decompor. Então, em vez de eles ocuparem as ruas, podem se tornar uma decoração em nossas casas. Quando eu entrego o material já reciclado para alguém, em forma de produto, eu procuro conscientizar as pessoas que é possível preservar aquilo por muito tempo, sem precisar voltar para natureza”, conta.

UPCYCLING

O trabalho desenvolvido por Gina é um exemplo de Upcycling, prática que, apesar de não ser nova, tem ganhado fama por conta das técnicas sustentáveis e processo ambientalmente correto que ela promove. Basicamente, a técnica consiste em dar um novo propósito a materiais que seriam descartados. Isso tudo com criatividade e qualidade igual ou até melhor que a do produto original.

Dentro do setor industrial, a prática é considerada fundamental para o equilíbrio da produção em grande escala. “O Upcycling é uma das formas de dar uma destinação mais nobre para os resíduos, evitando a destinação inadequada ou a geração de lixo. Com isso, você evita que o resíduo vá parar em um rio, nas ruas, em contaminação do solo e das águas e garante uma longevidade ao ciclo de vida de determinado produto”, Explica Deryck Martins, Presidente do Conselho Temático de Meio Ambiente da FIEPA.

Atento a este cenário, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI/PA) já utiliza essa técnica dentro dos seus cursos na área de vestuário. No Polo de Moda do SENAI, em Belém, há, inclusive, um curso específico de Upcycling, que contribui para a formação de novos profissionais conscientes e para amenizar o desperdício na indústria do segmento.

Josilene Garcez, professora do curso, destaca a importância do tema e como o curso é aplicado no dia a dia. “Nosso curso tem como ênfase a sustentabilidade. Nós aproveitamos os resíduos da indústria e transformamos em roupas, bolsas, acessórios. Todas as discussões estão girando em torno da sustentabilidade, então é muito importante que estejamos inseridos nesse processo de maneira prática, propagando nos nossos cursos”, explica a professora.

Enquanto a prática da Upcycling se populariza, Gina diz que vai seguir fazendo a sua parte, transformando, com seu talento e criatividade, um ambiente mais sustentável. “Acho que esta é minha missão na vida, reduzir o lixo e transformar o que as pessoas não querem mais em algo que vai deixar os ambientes mais bonitos”, conclui.   

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp