03/05/2023 às 09h05min - Atualizada em 03/05/2023 às 09h05min

Ministro da Educação: Prioridade é a alfabetização até o 2º ano | Portal Obidense

Ao falar na comissão de educação, ele também destacou que a suspensão do cronograma de implantação do novo ensino médio é necessária para não prejudicar os alunos.

Iara Farias Borges.
Da Rádio Senado

Portal Obidense  Publicidade 790x90

Da Rádio Senado

BRASIL - Em audiência na Comissão de Educação, o ministro Camilo Santana, destacou que, fundamentadas nas premissas de foco, diálogo e união entre os governos federal, estaduais e municipais, a prioridade do governo será com a alfabetização das crianças até o segundo ano. Também será dada atenção aos alunos até o quinto ano, pois segundo o ministro, a alfabetização precária afeta o aprendizado posterior.
 

“Porque há distorções enormes, tanto entre municípios, como entre estados, como entre regiões. Portanto, a ideia é transformar isso numa grande política onde os 27 governadores deste país possam assinar um pacto em relação a gente garantir a redução desta distorção do aprendizado das nossas crianças. Nós consideramos que esta é uma das mais importantes políticas que esse governo irá implementar.”
 

Para o senador Izalci Lucas, do PSDB do Distrito Federal, o país precisa de uma política permanente para a Educação.
 

O que me assusta, fico indignado até, é falta de política de Estado. É difícil, cada governo que entra faz questão, parece, de acabar o que tinha nos governos anteriores. Então, esta falta de política pública de Estado é que me preocupa. Porque educação, se fizermos uma pesquisa aqui, 100% são favoráveis à priorização da educação, mas na prática não é o que a gente vê nesses últimos anos.”
 

Camilo Santana explicou ainda que foi necessário suspender os prazos do cronograma nacional de implementação do Novo Ensino Médio para melhor discussão e avaliação e evitar que os estudantes fossem prejudicados.
 

 “Há problemas que precisam ser discutidos no ensino médio, os seus itinerários, a sua carga horária na Base Comum, a falta de formação, a sua infraestrutura, de diálogo com os estados brasileiros. Portanto, há uma necessidade e é isto que nós temos feito no MEC, abrir uma ampla consulta e um amplo debate para sabermos quais as correções e quais as decisões que nós precisamos tomar."
 

Ao lembrar que a Comissão de Educação criou uma subcomissão para tratar especificamente do ensino médio, o presidente do colegiado, senador Flávio Arns, do PSB paranaense, defendeu diálogo constante com o MEC.
 

 “Esta é a primeira oportunidade que nós temos de escutar o ministro. Então, o contato da Comissão de Educação com o MEC tem que ser permanente, diário, discutindo, construindo caminhos, colaborando nas soluções. Porque nós queremos que a educação no Brasil seja de muita qualidade e seja considerada prioridade absoluta em nosso país”.
 

O ministro Camilo Santana também defendeu o programa Mais Médicos para levar profissionais especialmente para a região Norte; a educação em tempo integral e a conclusão de obras inacabadas.

 

Portal Obidense  Publicidade 790x90


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp