21/01/2023 às 11h31min - Atualizada em 21/01/2023 às 11h31min

Ideflor-Bio promove o recadastramento de extrativistas para a colheita da castanha do Pará na FLOTA Trombetas | Portal Obidense

Cerca de 500 extrativistas foram cadastrados em anos anteriores, e a expectativa para este ano é que cerca de 100 novos trabalhadores sejam inscritos

Da Redação
Agência Pará
Agência Pará

PARÁ - O Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (IDEFLOR-Bio), por meio da Diretoria de Gestão e Monitoramento das Unidades de Conservação (DGMUC/IDEFLOR-Bio), promove entre os dias 23 e 24 de janeiro, de 8h às 17h,  atualização cadastral e  cadastramento de novos extrativistas para a coleta da safra da castanha do Pará, no interior da Unidade de Conservação (UC) Floresta Estadual do Trombetas (FLOTA do Trombetas), na Base do Jaramacaru, no município de Óbidos.  O Ideflor-bio informa que a reabertura da FLOTA , ocorrerá no dia 03/02/2023. Na região, a coleta da castanha do Pará acontece entre os meses de janeiro a agosto. 

Os extrativistas interessados devem comparecer a Base do Jaramacaru, no horário de 8h às 17h, levando os seguintes documentos: CPF,  RG, carteira de vacinação comprovando todas as doses da  vacina contra a Covid-19, e  preencher os seguintes critérios: ser maior de idade, pertencer a família de extrativistas (esposa(o), filhos, netos); fer exercido a atividade de extrativista na FLOTA do Trombetas, antes de 2019 (com comprovação); ser morador de comunidades do entorno da FLOTA do Trombetas (nas proximidades da comunidade de Jaramacaru) . 

Cerca de 500 extrativistas foram cadastrados em anos anteriores, e a expectativa para este ano é que cerca de 100 novos trabalhadores sejam inscritos 

O IDEFLOR-Bio informa que somente os extrativistas cadastrados previamente no IDEFLOR-Bio poderão entrar na Unidade de Conservação, mediante a apresentação da carteira de credenciamento emitida pelo Ideflor-Bio, acompanhada de documento de identificação pessoal com foto e apresentação do teste de covid-19, com no mínimo 48 horas. 

Os extrativistas que tiverem a entrada autorizada, ainda deverão assinar um Termo de Compromisso Individual, comprometendo-se ficar longe das áreas da Terra Indígena (TI) Z'oé, povo de recente contato com não indígenas e por isso mais vulnerável a Covid-19. 

A UC faz fronteira com a Terra Indígena Z’oé,  e todas as medidas para resguardar a integridade da Etnia, serão  respeitadas  de acordo com as diretrizes  da Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) 

A presidente do Ideflor-Bio , Karla Bengtson,  ressalta que  Ideflor-Bio, por meio da DGMUC, promove a gestão da UC, que permite compatibilizar a conservação da natureza com o uso sustentável de parcela dos seus recursos naturais, condicionados às normas estabelecidas em seu Plano de Manejo. O regulamento visa o direcionamento e ordenamento das atividades  no interior da FLOTA do Trombetas, de forma planejada, em respeito às normas ambientais vigentes, com vistas a contribuir para o desenvolvimento sustentável.  

A Diretora de Gestão e Monitoramento de Unidades de Conservação (DGMUC), Socorro Almeida, reforça aos extrativistas sobre a  importância do recadastramento, e a  realização de novos cadastros para a liberação da entrada na (UC), além  do cumprimento dos limites estabelecidos para a colheita da castanha; e dos direcionamentos editados pelo Ideflor-Bio, órgão gestor da Unidade de conservação.   

"O Instituto realiza o ordenamento do território e das atividades extrativistas no Jaramacaru, reforçando a importância da manutenção da floresta em pé, evitando a degradação ambiental e garantindo, por meio da permissão do extrativismo, a melhoria da qualidade de vida das populações que vivem dos recursos naturais da floresta”, ressaltou a gestora. 

Segundo o gerente da FLOTA do Trombetas, Ronaldison Farias, a coleta da castanha representa um importante segmento econômico para centenas de famílias, repassada de geração em geração, na região. “ O Plano de Manejo da Unidade de Conservação, mapeou 49 castanhais nas margens do rio Trombetas, 4 no rio Cachorro,12 no rio Acapu, 8 no rio Ariramba, 2 no rio Erepecuru e 27 no ramal Rio Claro. “Esses castanhais eram utilizados principalmente por quilombolas e moradores de Oriximiná, Óbidos e Alenquer", disse o gerente. 

De acordo com os dados da Associação dos Extrativistas do Jaramacaru (ACAJE), cerca de 350 extrativistas trabalharam durante a safra de 2022, no interior  FLOTA do Trombetas, cujo resultado foi de 6 mil sacas de castanha coletados, o equivalente a 250 toneladas, movimentando aproximadamente 1 milhão e meio de reais. 

A Floresta Estadual do Trombetas (FLOTA do Trombetas) foi criada pelo Governo do Estado do Pará e é administrada pelo Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-Bio). É uma Unidade de Conservação (UC) de Uso Sustentável, criada pelo Decreto nº 2.607, de 04 de dezembro de 2006. Este tipo de UC objetiva compatibilizar a conservação da natureza com o uso sustentável de parcela dos seus recursos naturais, com ênfase em métodos de exploração sustentável da floresta nativa; e defender os direitos das populações tradicionais. 

A FLOTA do Trombetas está situada na margem esquerda (Calha Norte) do rio Amazonas, no Estado do Pará, e abrange parte do território dos municípios de Oriximiná (88%), Óbidos (11%) e Alenquer (1%).

 

 

 

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp