09/01/2020 às 12h40min - Atualizada em 09/01/2020 às 12h40min

Negativamente Pará é notícia no Brasil, esquema de caixa 2 e organização criminosa | Portal Obidense

MPF denuncia vice-governador do Pará e mais 31 por organização criminosa – Do Antagonista e Crosué

Por: Walmir Ferreira
Informações e Fotos: O Antagonista e Revista Crosué
PARÁ – Um dia antes de deflagrada a Operação Fora da Caixa, que prendeu um ex-senador do Pará e investiga suposto caixa 2 da Odebrecht na campanha de Helder Barbalho, o Ministério Público Federal denunciou o vice-governador do Pará, Lúcio Vale (PL), e outras 31 pessoas.
 
Segundo o MPF, o grupo desviou R$ 39,6 milhões de dez municípios por meio de fraudes em licitação entre 2013 e 2017. A maior parte do dinheiro desviado era destinada à compra de merenda escolar.

O deputado Cristiano Dutra Vale (PL), irmão de Lúcio, também foi denunciado. Eles responderão pelo crimes de organização criminosa, corrupção, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e peculato.

De acordo com a denúncia, os recursos foram desviados dos seguintes municípios: Viseu (R$ 31.877.107,15), Ipixuna do Pará (R$ 1.986.331,88), Mãe do Rio (R$ 1.795.542,23), Cachoeira do Piriá (R$ 1.597.546,64), Marituba (R$ 1.401.152,60), Santa Maria do Pará (R$ 687.075,32), São Miguel do Guamá (R$ 223.011,24), São Caetano de Odivelas (R$ 88.148,30), Ourém (R$ 16.101,58) e Marapanim (R$ 14.850,96).

PF encontra R$ 38 mil em espécie na casa de ex-senador preso

A PF encontrou R$ 38 mil em espécie na residência do ex-senador Luiz Otávio Campos, no Pará, informa Mateus Coutinho na Crusoé.
Como noticiado, o ex-parlamentar foi preso na manhã desta quinta-feira na Operação Fora da Caixa, que apura o pagamento de R$ 1,5 milhão para a campanha de Helder Barbalho, do MDB, ao governo do Pará em 2014.


PF pediu busca na casa de governador do Pará, mas Justiça Eleitoral negou - Por Márcio Falcão

 

A Polícia Federal chegou a pedir busca e apreensão na casa do governador do Pará, Helder Barbalho, mas a Justiça Eleitoral negou. O argumento da 1ª Vara da Justiça Eleitoral em Belém foi de que a PF não apresentou elementos concretos de materialidade contra o emedebista.

A PF investiga na Operação Fora da Caixa um suposto caixa 2 da Odebrecht para a campanha que elegeu Helder Barbalho, do MDB, governador em 2014. Segundo investigadores, o ex-senador Luiz Otávio Campos teria feito a intermediação do pagamento de R$ 1,5 milhão. Luiz Otávio foi alvo de prisão temporária.  A PF também prendeu, em Palmas (TO), o empresário Alvaro da Rin, suspeito de participação no esquema.
Luiz Otávio é apontado como responsável por arrecadar os recursos junto aos empresários do consórcio de Belo Monte

A dinastia do Pará

A PF apura um esquema de caixa dois no Pará, relacionado à campanha de Helder Barbalho. Enquanto isso, o senador paraense Jader Barbalho, pai do governador, publica no Twitter velhos retratos da dinastia familiar.


Alvo de investigações, família Barbalho vai tentar se manter no poder - Por Diego Amorim

Antagonista recorda o que publicou na última segunda-feira aqui: o MDB vai lançar o deputado federal José Priante na disputa pela Prefeitura de Belém neste ano.

Priante é primo do senador Jader Barbalho.

Há menos de dois meses, o Supremo Tribunal Federal (STF) abriu inquérito para investigar a suspeita de que Priante e outros deputados tenham recebido dinheiro para votar em Eduardo Cunha para a Presidência da Câmara, em 2015. O provável candidato do MDB em Belém também já foi alvo de inquérito no Supremo no âmbito da Operação Grand Canyon, que investiga irregularidades no Departamento Nacional de Produção Mineral do Pará.


Empresa mantenedora do Portal: Trilha Moto Peçasde Marinelson e Silvia Siqueira Óbidos e CuruáPA 93 3547-1110
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual BANDA ou CANTOR que vc gostaria de ver num Grande Evento Paraense em 2020 em Manaus

2.1%
23.6%
10.6%
0.7%
0%
0%
15.4%
1.7%
0.7%
35.3%
1.4%
4.5%
2.7%
1.4%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp