15/11/2019 às 13h41min - Atualizada em 15/11/2019 às 13h41min

Mais de mil hidrômetros furtados: Cosanpa trabalha para reverter o transtorno | Portal Obidense

Prejuízos são difíceis de reverter. O crime é caracterizado como furto qualificado

Por: Walmir Ferreira
Texto e foto: Agencia Pará
PARÁ - Além de ser crime, o furto de hidrômetros causa transtornos para toda a população. Os primeiros a sofrerem as consequências do ato criminoso são os moradores da residência de onde o medidor de água foi furtado, já que o dano à tubulação gera a falta de água e o prazo para a Companhia de Saneamento do Pará atender ao pedido de religação é de até 24 horas, após a solicitação.

As consequências não param por aí... o furto gera desperdício de água tratada, pode acarretar a diminuição da pressão na rede, prejudicando o abastecimento de toda a vizinhança, e ainda causa prejuízo para os cofres públicos. A Cosanpa é um empresa pública e não cobra pelo hidrômetro furtado, então, toda vez que um aparelho é furtado, os custos chegam a R$ 295 para a compra de um novo equipamento, reparo da rede e recomposição do que foi destruído.

"Quando a Cosanpa perde, toda a população perde. O morador que é uma vítima da ação criminosa fica sem água quando isso ocorre, a Companhia tem o gasto, que poderia somar aos novos investimentos que estão sendo feitos. A denúncia de quem comete este tipo crime e de quem compra objetos provenientes do crime é imprescindível para que possamos reduzir esses números e evitar todos esses transtornos", disse Edson Cardoso, Gestor de Negócios da Cosanpa.
De janeiro até deste ano, a Cosanpa recebeu registros de 1.0.41 hidrômetros extraviados. Em 2018, foram 995 hidrômetros extraviados, no Pará. Os bairros com maior número de registros são: Campina, Batista Campos e Condor, todos em Belém. Esta semana, mais um caso chamou a atenção. Desta vez, no Conjunto Cidade Nova 6, em Ananindeua. Durante a madrugada, um homem furta um hidrômetro e leva na bolsa.

De acordo com o diretor da Divisão de Investigações e Operações Especiais, delegado Neyvaldo Silva, por se tratar de um patrimônio público, o caso é considerado como furto qualificado. "Se o furto é feito com destreza, no período noturno, se o objeto furtado for patrimônio público tudo isso pode agravar o crime. A pessoa pode ir presa em flagrante e terá que responder pelo crime. Tão logo, o cidadão denuncia e faça o boletim de ocorrência, a polícia civil desencadeia uma investigação no intuito de identificar o autor do crime para responsabilizá-lo pelo crime de furto qualificado", explicou.

Em casos de furto de hidrômetros, o morador deve fazer o registro nos canais de atendimento à Cosanpa para que o vazamento provocado pelo crime seja sanado e o serviço de água seja restabelecido. O prazo de atendimento é de até 24 horas. Já para instalação de um novo hidrômetro, o prazo é de até 90 dias e é necessário o registro da ocorrência policial. Durante este período, nas faturas seguintes virá o cálculo médio do consumo histórico mensal do cliente. É importante que o cidadão compareça à delegacia mais próxima ou na DIOE para que a pessoa que tenha o hidrômetro furtado tenha o respaldo.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Findando o período letivo qual a matéria mais difícil de passar?

5.9%
9.2%
44.4%
11.8%
17.6%
3.9%
7.2%
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp