20/03/2017 às 22h06min - Atualizada em 20/03/2017 às 22h06min

Audiência Pública discute reabertura do abatedouro municipal de Óbidos

Audiência foi realizada pelo MP e contou com a participação de representantes do Governo Municipal, Adepará, Sindicato Rural, e dos empresários que atuam no ramo.

Por: Érique Figueirêdo
Ascom/PMO
Fotos: Odirlei Santos - Ascom/PMO

ÓBIDOS - Promovida pela Promotoria de Justiça da Comarca de Óbidos, no oeste do Pará, uma Audiência Pública realizada na tarde desta segunda-feira (20) no auditório o Centro de Formação Dom Floriano Loewenau, discutiu a possibilidade de reabertura do abatedouro municipal, interditado desde março de 2013 por conta das péssimas condições da estrutura do local e das condições inadequadas de higiene.

A audiência foi idealizada pela promotora de justiça Lilian Regina Furtado Braga. Também participaram da consulta popular o vice-prefeito Isomar Barros; José Carlos de Souza, presidente da Câmara de Vereadores; Celso Rodrigues, secretário de Meio Ambiente; Tatiane Hage, coordenadora local da Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará); Giovanni Giordano, presidente do Sindicato Rural de Óbidos; marchantes e o proprietário do frigorifico particular que presta o serviço atualmente.

A reabertura do abatedouro é requerida pela facilidade de acesso dos pequenos produtores ao mercado de corte, hoje prejudicado com os altos custos para chegada dos animais ao abatedouro mais próximo, localizado a 19 km da sede do município. Além de uma série de outras questões que sustentam a necessidade de reabertura do espaço.

No entanto, Ministério Público, Governo Municipal, e órgãos reguladores, buscam uma solução para os impasses que dificultam a reativação do abatedouro. A proximidade do local com o aeródromo municipal atrai grande quantidade de urubus e põe em risco o pouso e decolagem das aeronaves. Há também preocupação com possíveis danos ambientais, devido à proximidade com o rio Amazonas e com o lago Geretepaua, o que gera uma série de questionamentos.

O MP quer com as discussões, garantir um serviço que beneficie a comunidade e não polua o meio ambiente. “São preocupações que não só devem ser do Ministério Público, mas de toda a população obidense. Precisamos ter a garantia de que temos um estabelecimento que vem para o desenvolvimento da comunidade, e que não vai comprometer o meio ambiente, que não pode posteriormente comprometer a saúde pública”, explicou a promotora de justiça, Lilian Regina.

Outro foco das discussões é a garantia – caso o abatedouro seja reaberto – de um serviço de qualidade, possibilitando que o obidense encontre no mercado carne de qualidade, por um preço justo, atendendo todas as exigências da Vigilância Sanitária e do Ministério da Agricultura.

O representante do Poder Executivo, levantou questões importantes quanto as condições para a conclusão da reforma que está parada. O governo se comprometeu em apresentar uma nova proposta técnica para os órgãos reguladores, observando todas as questões ambientais, estruturais e técnicas para a retomada da obra. “Nós entendemos que discussões como essa nos aproximam da classe que atua nesse mercado, e nos possibilita apresentar com clareza se temos ou não condições de reativar esse serviço. Precisamos ter a exata noção e a segurança de que é viável e necessário a reabertura do matadouro, e por isso vamos agilizar e reavaliar esse projeto, discutindo sempre com a comunidade e o Ministério Público”, garantiu o vice-prefeito Isomar Barros.

Não há prazo para a entrega da nova proposta técnica de reforma do abatedouro, e o assunto será pauta de diálogo permanente entre Ministério Público, Prefeitura Municipal, órgãos reguladores e a classe marchante.  


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual BANDA ou CANTOR que vc gostaria de ver num Grande Evento Paraense em 2020 em Manaus

2.3%
22.5%
10.2%
1.8%
0%
0%
15.2%
1.8%
0.6%
33.3%
1.8%
3.8%
4.7%
2.0%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp