17/11/2023 às 10h23min - Atualizada em 17/11/2023 às 10h23min

AM diz que dama do tráfico não tinha legitimidade para evento

Luciane Barbosa foi representante do estado durante um evento do Ministério dos Direitos Humanos

Da Redação
Pleno News

Portal Obidense  Publicidade 790x90

Luciane Barbosa, conhecida como dama do tráfico Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

AMAZONAS - O governo do Amazonas confirmou que Luciane Barbosa, apontada como integrante do Comando Vermelho, foi indicada por um órgão estadual para participar de um evento no Ministério dos Direitos Humanos (MDH) no início de novembro, mas que ainda não havia sido nomeada para o cargo. De acordo com o Executivo estadual, ela “não tinha legitimidade para ter participado do encontro como representante do colegiado”.

Conhecida como a “dama do tráfico amazonense”, Luciane foi representante do estado durante evento do MDH nos dias 6 e 7 deste mês, com passagens e diárias pagas com dinheiro público. O Encontro de Comitês e Mecanismos de Prevenção e Combate à Tortura reuniu mais de 70 pessoas de todo o Brasil. Todos os participantes receberam passagens e diárias bancadas pelo ministério e a indicação deles foi feita por comitês locais.

Segundo o governo amazonense, Luciane foi indicada para o comitê como representante da sociedade civil pelo Instituto Liberdade do Amazonas (ILA), órgão presidido por ela. Para participar do evento, ela foi indicada pela presidente interina do comitê, Natividade de Jesus Magalhães Maia, que também é representante da sociedade civil, conforme a administração estadual comandada por Wilson Lima (União Brasil).

O Comitê Estadual para a Prevenção e Combate à Tortura, vinculado à Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Justiça e Cidadania (Sejusc), é composto por integrantes do Executivo, da Defensoria Pública, da Ordem dos Advogados do Brasil – seccional Amazonas (OAB-AM) e da sociedade civil do Amazonas.

– Diante das informações divulgadas, a Sejusc questionará à sociedade civil quanto à manutenção do nome de Luciane como parte do comitê – disse o governo do Amazonas.

Nesta quarta-feira (15), o Ministério dos Direitos Humanos afirmou ao Estadão que Luciane foi indicada pelo Comitê Estadual do Amazonas, sem participação de autoridades federais.

– Nem o ministro nem a secretária nem qualquer pessoa do gabinete do ministro teve contato com a indicada ou mesmo interferiu na organização do evento que, insistimos, contou com mais de 70 pessoas do Brasil todo e que franqueou aos comitês estaduais a livre indicação de seus representantes – apontou.

Conhecida como a “dama do tráfico amazonense”, Luciane é acusada de ser o braço financeiro do Comando Vermelho no estado. Ela é casada há 11 anos com o traficante Clemilson dos Santos Farias, o Tio Patinhas, um dos líderes da facção no Amazonas. Ela e o marido foram condenados em segunda instância por lavagem de dinheiro, associação para o tráfico e organização criminosa.

Portal Obidense  Publicidade 790x90


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp