06/07/2017 às 18h20min - Atualizada em 06/07/2017 às 18h20min

Nas busca de realizar serviços de transporte de qualidade empresa, ouve pais, alunos e professores sobre suas dificuldades.

Responsáveis pela empresa de transporte, realizaram visitas, promoveram reuniões nas escolas das comunidades atendidas pelo serviço de transporte escolar e traçaram um perfil da realidade atual.

Por: Eury Silva
Fotos: Eury Silva

ÓBIDOS - A empresa Vieira transporte vencedora do certame 007/2017 para executar os serviços de transporte escolar em 68 rotas na região de terra firme em Óbidos, com os serviços em andamento que teve iniciaram no final de maio, a empresa realizou visitas e ouviram alunos, pais e professores sobre a realidade e desafios que os alunos enfrente no transporte escolar.

A visita foi realizada no período do mês junho, nas escolas: Romeu de Andrade polo repartimento, Escola São Benedito – Comunidade Silêncio, Escola São José na comunidade São José, escola São Sebastião polo Castanhanduba, Escola das comunidades Cipoal, Paiol, Liberdade, Breu, Ponte Grande, Mamauru, Umurizal, Cuiteua, São Pedro, Canta Galo, São Vicente, Flexal, Igarapé-Açu, Rio Branco, Santa Luzia, Curumu, Arapucu, Maria Tereza e São João, ramal das Varas.    

Representante da empresa Carlos, Marcinei Sousa e Ivanildo Sousa, mais o supervisor técnico de operações Paulo Cesar que é responsável pelo Polo educacional do repartimento, Curumu, São Pedro, Cipoal, Walmir Rocha, supervisor técnico de operação da área terra firme e várzea, Claudia, Secretaria administrativa, juntos ouviram e anotaram as necessidades e sugestões dos pais, alunos e professores.

Na escola São Sebastião comunidade Castanhanduba, pais, alunos e professores, relatam suas dificuldades, principalmente no período de inverno, a escola está localizada próximo ao rio Amazonas, nesse período os alunos só acessam a escola através de embarcação.

Entre as maiores dificuldades está nos ramais que dão acesso à escola, pela impossibilidade do acesso dos veículos, devido os danos causados pelas chuvas.

O professor Edson, questionou a empresa, sobre os veículos e embarcações se já passaram por fiscalização e vistoria e se tem autorização pelo departamento municipal de transito? Sobre os condutores, se são capacitados para executar a atividade de motoristas e comandantes no transportes de alunos?

Também os pais questionaram sobre os cuidados com as crianças na hora de subirem e descerem da embarcação, e declararam que antes tinha alguns condutores “brutos” na hora de carregar as crianças para embarcação, e questionou ainda se o transporte que conduz os alunos podem conduzi outras pessoas?

O esclarecimento sobre tais questionamentos foi respondido por Carlos Sousa, que não estão medindo esforços para atenderem

todos os requisitos exigidos no processo licitatório, realizado pela prefeitura municipal de Óbidos. Sobre a pergunta do professor Edson, informou “todos os veículos que estão realizando o transporte, todos são legalizados, e estão passando por vistorias no departamento municipal de transito e os condutores todos são habilitados na categoria D, já os condutores de embarcações atendem aos requisitos exigido pela marinha do Brasil”.

Em resposta aos pais de alunos, Carlos Sousa esclareceu: “A lei do transporte escolar proíbe a condução de outras pessoas que não seja aluno, pois o transporte é exclusivo de alunos conforme a lei do transporte escolar, e a empresa irá rever as condutas de cada condutor de embarcação, para que os mesmo trate bem das crianças”.   

Na escola São Benedito na comunidade Silêncio, o supervisor técnico Walmir Rocha, se reuniu com pais, professores e membros do conselho escolar, e informou que a empresa vem realizando reuniões nas escolas onde a empresa atua com serviço de transporte e recebeu sinalização positiva sobre o serviço.

Na escola, polo Romeu de Andrade na comunidade Repartimento a 38km de Óbidos, dois veículos realizam os transportes escolar.  As dificuldade são maiores dos alunos, por estarem nas áreas mais remotas devido a presença de serras.  O professor e secretario da escola, Manoel João, relatou que as dificuldades são várias que os alunos enfrentam para chegarem até a sala de aula. A escola receber alunos dos ramais e de outras comunidades, aproximadamente 100 alunos depende do transporte. As dificuldades maiores estão nos ramais: Andiroba, água branca, açacú, por estarem em serras e serem de pedras, neste período ficam perigoso os veículos transitarem divido os grandes buracos no percurso, e que em 2016 quase não teve

aulas, por problemas mecânicos quase diariamente, no primeiro semestre, no segundo semestre maioria dos alunos pararam de frequentar as aulas por falta de transporte. “Desde que esses ramais foram abertos, em nenhum   momento o município de Óbidos deu manutenção, com essas dificuldades a escola cada ano vem perdendo alunos, e os mesmo migram para a cidade de Oriximiná”. Disse em seu relato Manoel João.

Na escola 1° de maio na comunidade bom Viver, ponto de partida do veículo que transporta os alunos até a escola polo repartimentos num percurso aproximadamente 25km, ouviram os professores e pais de alunos que necessitam do transporte escolar para se deslocar até a escola. “Os professores relataram que nos últimos anos infelizmente houveram vários problemas no transporte, causando grandes prejuízos no desenvolvimento das crianças e jovens da comunidade e do trajeto onde o veículo passam, desde de 2014, o transporte vem apresentando problemas e principalmente no período do inverno, pois a estrada e ramais ficam

intrafegável”.

Na escola Santa Luiza, comunidade Santa Luiza, dois veículos realizam o serviço de transporte dos alunos, nos turnos manhã, tarde e noite, vindo de vários vicinais (ramal). A professora Gesiane Seixas, relatou que a grande dificuldade que os alunos enfrentam principalmente nesta época chuvosa, é o acesso dos ramais que ficam intrafegável, nos últimos anos, vários alunos desistiram da escola devido à falta de transporte, pois os veículos não entravam nos ramais devido estarem todos esburacados. Atualmente 83 alunos depende diretamente do transporte escolar.

Na escola da comunidade São Vicente, localizado no ramal são Vicente, a 7km da PA, a professora Sonia, informou que as crianças também enfrentam grandes dificuldades para estudarem, devido a escola está localizada numa área isolada e de pouco acesso, os ramais que dão acesso estão intrafegáveis e em péssimas condições do transporte escolar transitar, com isso

dificultando o rendimento dos alunos, e atualmente a escola atende 20 alunos. Desde que foi aberto o ramais, o município de Óbidos não deu manutenção, vários pedidos foram realizados para o município e nem um foi atendido, as últimas manutenções que os ramais recebeu foi realizado pelo município de Oriximiná. A professora relata ainda que no ano de 2016, foi um ano negativo para educação, pois no segundo semestre o transporte foi paralisado.

Na escola Antônio Magalhães e Cora Simões, no ramal São Pedro a 10km da PA 439, os desafios são maiores ainda que os alunos enfrentam para consegui o conhecimento através da educação, pois a área também é bastante remota e com várias serras no percurso pra escola. Relatos da professora Marinalva Sousa Barbosa, que é um grande desafio dos alunos chegarem até as salas de aulas, pois o acesso é difícil aos ramais e pela longa distância das casas dos alunos, e carros não chegam até próximos deles, devido os ramais não terem condições de acessos. Nos ramais: Jiboia, Água Branca, Vai quem Quer, Serrinha, Laguinho e Marmiazinho,

alunos chegam andas até 4km para chegarem até o veículo do transporte e outros usam cavalos para chegarem até o ponto do transporte escolar. “Não adianta a empresa colocar veículos novos, se os ramais não tem acesso de trafegabilidade. Desde que esses ramais foram abertos nunca o poder público olhou para ele. Se hoje ainda temos acessos neles, é porque os pais e moradores dão manutenção”. Disse a professora Marinalva Sousa Barbosa

A empresa, Vieira Transporte, declarou vem realizando visitas técnicas nas áreas onde os veículos estão realizando o transporte, para que os serviços sejam todos realizados com qualidade. “Apesar das grandes dificuldades que temos no período do inverso na nossa região, este ano está sendo muito

forte causando grandes estragos no ramais, e tem trechos que os veículos precisam passam por dentro de igarapés, subir ladeiras sem os alunos, e com todas essas dificuldades a empresa está cumprindo com toda as 68 rotas, com veículos traçados e adaptados devido as péssimas condições dos ramais. Em reunião com gestão municipal, formos informados num prazo curto que o município irá realizar a manutenção desses ramais e estradas que dão acessos as escolas. E assim que os serviços forem sendo realizados, a empresa irá usar veículos confortáveis com combin, micro-ônibus e vans, para que os nossos alunos tenham mais qualidade no caminho da sua escola no seu aprendizado”.  


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual BANDA ou CANTOR que vc gostaria de ver num Grande Evento Paraense em 2020 em Manaus

2.3%
22.5%
10.2%
1.8%
0%
0%
15.2%
1.8%
0.6%
33.3%
1.8%
3.8%
4.7%
2.0%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp