12/11/2021 às 15h37min - Atualizada em 15/11/2021 às 00h10min

Case de sustentabilidade na agropecuária mineira é destaque na COP 26

• Com geração de energia limpa e fertirrigação do solo a partir de dejetos dos animais da fazenda, operação criada pela marca de carnes premium Carapreta está entre os cases de sucesso apresentados pelo Estado mineiro.

SALA DA NOTÍCIA Paula Caires
  • Governo do Estado de Minas tem participação ativa na agenda climática mundial durante a COP26, na Escócia;
 
  • Além da participação nos eventos, Estado compartilha experiências realizadas para minimizar a mudança climática global;
 
  • Com geração de energia limpa e fertirrigação do solo a partir de dejetos dos animais da fazenda, operação criada pela marca de carnes premium Carapreta está entre os cases de sucesso apresentados pelo Estado mineiro.
 
  • Operação mitiga a emissão de Carbono através de tecnologias sustentáveis.


Minas Gerais participa da comitiva brasileira para a 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP26), que está sendo realizada até hoje, dia 12, em Glasgow, capital da Escócia. Como parte dos representantes do Estado, a secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Marília Melo, participou de eventos que discutiram, junto a outras autoridades mundiais, ações concretas para reduzir a emissão de Gases de Efeito Estufa (GEE) e o controle das mudanças climáticas no planeta. Entre elas, está o case de sucesso das fazendas da marca de carnes premium Carapreta.
Desde 2019 as fazendas do grupo contam com dois conjuntos de biodigestores capazes de transformar os dejetos da criação de bovinos e ovinos em biogás e, depois, em energia de alta tensão que alimenta as indústrias. Atualmente, a geração já é capaz de atender a demanda por energia elétrica dos frigoríficos de ovino e pescado que se localizam dentro da própria fazenda. O resíduo líquido gerado pela operação é ainda aproveitado no processo de fertirrigação no cultivo das lavouras que servem para nutrição das criações de bovinos e ovinos, ou seja, ocorre a troca de produtos orgânicos por químicos. Com a operação, são mitigadas as emissões de CO² equivalente ao plantio anual de 245 mil árvores.
A operação do grupo é um dos destaques porque vai ao encontro da adesão do Estado mineiro à campanha “Race To Zero”, que visa alcançar a neutralização de emissões líquidas de carbono até 2050. Esse, inclusive, foi o tema da palestra do governador Romeu Zema no painel de abertura do evento de Ação sobre Cidades, Regiões e Ambiente Construído, realizado no dia 11.
Além de menor impacto em termos de emissão, o case de sustentabilidade Carapreta também está alinhado aos princípios da economia circular - uma importante estratégia para mitigar problemas como o aquecimento global, a diminuição da biodiversidade, a poluição e o desperdício. Ao contrário de modelos de negócio lineares, a economia circular trabalha com as ideias de reutilização, compartilhamento, reparo, reforma, remanufatura e reciclagem para criar um sistema em loop fechado, minimizando a utilização de recursos e a criação de dejetos que resultam em lixo, poluição ou emissão de carbono. Além do aproveitamento dos dejetos dos animais, transformados em energia e substância para o solo, são exemplos a reutilização da água dos tanques para a criação de tilápia, com toda sua propriedade nutritiva oriunda dos dejetos dos peixes, na fertirrigação do solo, além dos subprodutos, como o óleo e farinha de peixe e de ovinos produzidos na graxaria, que voltam para alimentar as criações.
secretário-Geral do Estado, Mateus Simões, o presidente da Fundação Estadual do Meio Ambiente (FEAM), Renato Brandão, o presidente do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), Sérgio Gusmão, e a coordenadora do Núcleo de Sustentabilidade, Energia e Mudanças Climáticas da FEAM, Larissa Oliveira, também marcam presença no evento.
Já a Carapreta está sendo representada pelo CEO Vitoriano Dornas e o CMO Gabriel Geo. Na noite de terça (9), eles se reuniram com membros da delegação mineira, incluindo o Governador, além de investidores e demais convidados e, no dia 11 de novembro fizeram uma apresentação da empresa e seus projetos para potenciais investidores, parceiros e clientes internacionais. "Seguimos com nosso compromisso de produzir mais em menor área, com menor geração de CO2, buscando cada vez mais gerar créditos positivos de carbono, contribuindo para reduzir o aquecimento global. Para a Carapreta é um orgulho poder representar Minas Gerais e o Brasil numa agenda tão importante ao futuro da alimentação global", afirma o CEO Vitoriano Dornas.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual BANDA ou CANTOR que vc gostaria de ver num Grande Evento Paraense em 2020 em Manaus

2.3%
22.3%
10.0%
1.7%
0%
0%
15.2%
1.7%
0.6%
33.5%
1.7%
3.7%
4.6%
2.6%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp