30/11/2020 às 11h59min - Atualizada em 30/11/2020 às 11h59min

Estudo aponta contaminação de índios por mercúrio no oeste do Pará | Portal Obidense

Em Nota Técnica, a Fiocruz revelou que a contaminação por mercúrio decorrente da atividade mineradora de pequena escala.

Por: Elton Pereira
Informações Fiocruz
foto redes sociais
OESTE/PA - Um estudo realizado pela WWF-Brasil e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) comprovou a contaminação de índios Munduruku, por mercúrio de garimpo ilegal, na bacia do rio Tapajós, no Estado do Pará. O estudo avaliou os impactos da contaminação por mercúrio em 200 habitantes de três aldeias na Terra Indígena (TI) Sawré Muybu, que é de ocupação tradicional do povo Munduruku, nos municípios de Itaituba e Trairão, no médio rio Tapajós.

Em Nota Técnica, a Fiocruz revelou que a contaminação por mercúrio decorrente da atividade mineradora de pequena escala (garimpo) produz graves impactos ao meio ambiente e a saúde humana.

A coleta de dados, segundo a Fiocruz, ocorreu entre 29 de outubro e 9 de novembro de 2019, em três aldeias impactadas pelo garimpo: Sawré Muybu, Poxo Muybu e Sawré Aboy. Os resultados apontaram evidências claras dos efeitos deletérios da contaminação por mercúrio nas três aldeias Munduruku, e indicam que a atividade garimpeira vem promovendo alterações de grande escala no uso do solo nos territórios tradicionais da Amazônia, com impactos socioambientais diretos e indiretos para as populações locais, incluindo prejuízos à segurança alimentar, à economia local, à saúde das pessoas e aos serviços ecossistêmicos.

De acordo com a Fiocruz, foram detectados níveis de mercúrio em todos os participantes, sem exceção – adultos, crianças e idosos. Em geral, níveis de mercúrio acima de limites seguros foram detectados em 6 a cada 10 participantes (57,9%). “Os níveis de contaminação são maiores nas áreas mais impactadas pela ação do garimpo. Na aldeia às margens do rio mais afetado pelas atividades garimpeiras, 9 em cada 10 participantes apresentaram alto nível de contaminação. Nove (15,8%), em um total de 57 crianças menores de 5 anos avaliadas, apresentaram problemas nos testes de neurodesenvolvimento”, informou a Fundação.

Todos os dados da análise, foram entregues ao Ministério Público Federal e Estadual na cidade de Santarém no Oeste do Pará, que deve se manifestar sobre o caso e montar um plano de ação em parceria com demais órgãos de segurança pública, afim de combater o garimpo ilegal na região.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual BANDA ou CANTOR que vc gostaria de ver num Grande Evento Paraense em 2020 em Manaus

2.3%
22.3%
10.1%
1.7%
0%
0%
15.3%
1.7%
0.6%
33.8%
1.7%
3.8%
4.6%
2.0%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp