23/07/2019 às 14h15min - Atualizada em 23/07/2019 às 14h15min

Carimbó será tema de exposição no Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular

Informações: Ascom IPHAN
Por: Walmir Ferreira
Foto: Pierre Azevedo
PARÁ - Patrimônio Cultural do Brasil desde 2014, o Carimbó será tema de exposição a ser inaugurada no Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (CNFCP-Iphan), no próximo dia 25 de julho, às 17h. Com o tema Pau, corda, cores e (re) invenções: instrumentos e artesanatos do Carimbó, a mostra traz referências sobre a forma de expressão que envolve múltiplas linguagens como a dança, a indumentária, o canto, o ritmo, a culinária e a produção artesanal. Com entrada gratuita, a exposição estará aberta para visitação até dia 08 de setembro, na Sala do Artista Popular (SAP).
 
Há mais de dois séculos o Carimbó mantém sua tradição em quase todas as regiões do Pará e tem se reinventado constantemente. Seus instrumentos, sua dança e música são resultados da fusão das influências culturais indígena, negra e ibérica; e a memória coletiva dos mestres e seus descendentes tem mantido vivo estes aspectos.
 
Mestres instrumentistas do Carimbó relembram, num misto de nostalgia e entusiasmo, sobre um período considerado de outros tempos. “Antes era no pau e na corda; na viola e na lamparina. Não tinha microfone, não tinha nada”. Contam ainda que o Carimbó adentrava a noite ao som de instrumentos acústicos feitos em grande parte pelos próprios músicos, sendo um dom herdado e desenvolvido observando os familiares e as rodas que aconteciam em sua localidade.
 
“Esse é um evento muito importante, porque vai conseguir mostrar um bem cultural do nosso estado com a participação de mestres de diferentes regiões e saberes", avalia o Mestre Lucas, de 60 anos, que toca, canta e produz instrumentos de Carimbó há mais de três décadas. A participação dos mestres na exposição é uma realização do Iphan em parceria com a Secretaria de Estado de Cultura do Pará (Secult). A titular da Secult, Ursula Vidal, também vai participar da abertura da mostra.
 
A representatividade feminina do Carimbó está garantida no evento. Moradora do município de Soure, na região do Marajó, a mestra Meiry (na foto à esquerda) vai apresentar as indumentárias tradicionais do Carimbó. “As mulheres fazem parte dessa cultura tanto quantos homens. Eu costuro há muito tempo, mas também tem mulheres que dançam, cantam, tocam. Isso, pra gente, é comum”, afirma a mestra.
 
Banjos, curimbós, flautas, maracas, milheiros, reco-reco, além de saias e adereços, englobam uma produção de pequena escala, normalmente sob encomenda, que prioriza o reaproveitamento de materiais e a difusão de um considerado Carimbó tradicional. Não por acaso, diz mestre Ronaldo, “os mestres antigos faziam cultura, nós fazemos uma ação política e de cidadania a partir da cultura”.
 
No dia 26 de julho, às 16h, haverá ainda uma apresentação de Carimbó, que encerrará o Curso Livre de Folclore e Cultura Popular. Serão 11 mestres de diversos municípios paraenses: Meiry (Soure), Lucas (Belém), Manoel Alexandre, Acidenor (Ananindeua), Raimundo, Waldinei (Icoaraci), José Maria (Santa Bárbara), Marinho, Reginaldo (Marapanim), Agnaldo (Salvaterra) e Adan (Santarém). 
 
Sala do Artista Popular (SAP)
A SAP foi criada em 1983 com o intuito de ser um espaço para difundir a arte popular, trazendo objetos que, por seu simbolismo, tecnologia de confecção ou matéria-prima empregada, revelam o modo de vida das camadas populares. Os artistas expõem seus trabalhos, estipulando livremente o preço e explicando as técnicas envolvidas na confecção. O valor obtido com as vendas vai integralmente para eles. 
 
O catálogo de cada exposição é desenvolvido a partir de pesquisa etnográfica e documentação fotográfica realizada pela equipe do CNFCP. Assim é possível conhecer as relações entre a produção artesanal e o contexto de vida dos artesãos. Desde sua criação já foram realizadas 198 exposições. 
 
Serviço: 
Exposição Pau, corda, cores e (re)invenções: instrumentos e artesanatos do Carimbó 
Inauguração: 25 de julho, às 17h  
Período: 25 de julho a 8 de setembro de 2019 
Dias e horários: 
Terça-feira a sexta-feira, das 11h às 18h 
Sábados, domingos e feriados, das 15 às 18h
Local: Sala do Artista Popular / CNFCP
 
Apresentação de Coletivo de Mestres de Carimbó
Dia e horário: 26 de julho, às 16h
Local: em frente ao anexo do Museu de Folclore Edison Carneiro
Endereço: Rua do Catete, 179, Catete - Rio de Janeiro (RJ) 
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Findando o período letivo qual a matéria mais difícil de passar?

6.4%
10.0%
45.0%
10.7%
15.7%
4.3%
7.9%
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp