26/12/2018 às 10h35min - Atualizada em 26/12/2018 às 10h35min

Entrega de presentes marca natal dos pacientes do Hospital do Baixo Amazonas

Ag: Pará
Por: Joab Ferreira
Foto: Agência Pará
SANTARÉM - Ao longo do mês de dezembro, profissionais e voluntários do Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), em Santarém, se juntaram para proporcionar momentos de alegria e conforto aos pacientes internados na Unidade, com diversificadas atividades natalinas.

“Faço tratamento há seis anos na Oncologia e só tenho a agradecer a todos os profissionais do Hospital. Graças ao tratamento que recebo aqui estou vivo", diz Pedro dos Santos, de 58 anos. Ele já passou por todas as fases do tratamento de câncer e, hoje, faz apenas acompanhamento médico. Como forma de agradecer tudo o que já superou, atua como voluntário, que visitou os pacientes do HRBA. 

Na véspera de Natal (24), foram entregues cartas com mensagens de fé e esperança a todos os pacientes internados, acompanhados do Papai Noel e de um saxofonista. “O Natal com uma mesa farta e um coração vazio, não é Natal. Nós precisamos ver Jesus na pessoa do próximo. Não adianta ir à igreja rezar, não adianta reunir a família, se a gente não faz nada em prol de quem precisa, e as pessoas que estão aqui no Hospital não podem ter um Natal como desejam, por conta das enfermidades. Então, nós tiramos um pouco do nosso tempo para trazer o Natal para elas”, diz Sabrina Chaves que integra o grupo “Marias de Deus”, que pelo terceiro percorre os leitos nas enfermarias. 

Música
Para desperta ainda mais o clima de Natal, o grupo “Cantando o Amor”, também formado por voluntários, visitou a Clínica Oncológica, Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e Hemodiálise para levar alegria, fé e emoção por meio da música aos usuários.  “É um momento especial, tanto para os pacientes quanto para os voluntários. Isso não tem preço, porque nós nos enchemos de alegria ao fazer o bem ao próximo. Sabemos que é muito difícil a realidade de cada um que está internado aqui, longe de seus familiares, dos seus amigos, às vezes até sem previsão de ir para casa. Então é importante não perder a essência de Jesus no Natal”, conta o enfermeiro Fábio Fonseca.

Presentes 
Todas as crianças internadas no HRBA receberam os presentes que pediram ao Papai Noel. Cada uma descreveu o que queria ganhar, em uma carta, que foram apadrinhadas pelos profissionais da Unidade. Quando o bom velhinho apareceu, a alegria foi geral. “Gostei muito do Papai Noel ter vindo e ter trazido um presente pra mim”, comemorou Tarcísio Sousa, de 8 anos. 

“É muito gratificante ver, no sorriso dela, o quanto ela fica feliz. Também estou muito emocionada”, disse Eda Ferreira, mãe da pequena Élida, internada no Hospital. Para o Papai Noel, não há maior recompensa do que ver a reação das crianças. “Ver o sorriso no semblante delas traduz o significado do Natal. Eles estavam muito ansiosos para ver o Papai Noel e receber um presente”, conta o enfermeiro Dênis Vasconcelos.

A programação natalina contou com várias apresentações musicais. A chegada do Papai Noel foi a cavalo, com participação da Polícia Militar. A equipe de equoterapia da PM, também esteve presente para que as crianças pudessem participar dessa atividade terapêutica com cavalos. “Nosso objetivo esse local um ambiente mais acolhedor para que eles se sintam, apesar de estarem aqui, amparados e possam aproveitar este período de Natal e recebam carinho e amor. Isso influencia diretamente no tratamento deles”, afirma o diretor Hospitalar, Hebert Moreschi.

Gameterapia
Outra novidade para as crianças internadas no HRBA foi a modernização do projeto de Gameterapia. O projeto que é executado desde 2016, ganhou um videogame de última geração. A interação com os jogos estimula a atividade cerebral, facilita a aceitação ao tratamento proposto, reduz gastos com outras terapêuticas, retira o foco da dor, melhora o bom humor e permite reabilitação motora. “A Gameterapia é uma situação muito interessante. Às vezes, a criança não tem consciência da necessidade da fisioterapia e não quer colaborar com essa atividade, que é tão importante para ela, principalmente as que estão acamadas. Então, quando realizamos a Gameterapia, é uma situação lúdica, porque a criança viaja nos jogos, viaja na imaginação virtual e pode, por meio dessa atividade, fazer justamente as atividades de fisioterapia que ela normalmente não se sentiria estimulada para fazer”, explica o diretor Técnico do Hospital, Epifanio Pereira

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual BANDA ou CANTOR que vc gostaria de ver num Grande Evento Paraense em 2020 em Manaus

2.4%
22.5%
10.3%
1.5%
0%
0%
15.2%
1.8%
0.6%
34.3%
1.2%
4.0%
4.0%
2.1%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp