05/08/2017 às 15h37min - Atualizada em 05/08/2017 às 15h37min

Uma ideia de fazer algo pelos jovens de sua cidade, motivou Lucivaldo, filho de Terra Santa, iniciar projeto que tem a base no futebol.

Seria dois grande dia intenso, com muita atividade, reunião, explanações, tudo sobre o futebol da Terra e finalizando com a bola rolando no sábado pela manhã no campo do Juvenil.

Por: Walmir Ferreira
Fotos: Walmir Ferreira

TERRA SANTA – A convite, do industriário, terrasantense, Lucivaldo Ribeiro, funcionário de uma grande empresa multinacional instalada na Zona Franca de Manaus, capital do estado do Amazonas, o Portal Obidense, foi até a pequena cidade de Terra Santa, que fica no Oeste do Pará, que faz fronteira com Faro, Nhamundá, Oriximiná, Parintins e Juruti, acompanhar a segunda e terceira fase do projeto que ele chama de “Futebol da Terra”.

A ideia de Ribeiro é da oportunidades a adolescentes e jovens de sua cidade, a sair do sedentarismo e desenvolve-los, até mesmo profissionalmente, com oportunidades de um dia se tornar real o sonho de ser um jogador profissional.

A história de Lucivaldo, vai na contra mão da vocação de jogador, ele nunca jogou futebol, de família humilde precisou deixar seus pais ainda quando tinha 16 anos, lá fora, descobriu o quanto o adolescente e jovem precisa estar preparado para enfrentar as mazelas e as facilidades apresentada no intuído de desviar o homem ainda em formação sedento por conquistas, os primeiros a recrutar são o mundo organizado ilícito, o crime que promete e apresentam vida fácil, mas de curta história e um futuro incerto.

“Despreparado o jovem se deixa convencer por amizades irreais e fantasiosas. Todos sabem o quanto o esporte ajuda na formação e saúde da pessoa, esportes coletivos, particularmente, facilitam o convívio social, uma vez que a prática depende da interação entre os integrantes, os benefícios são infinitos. Fazer amigos e a ingressar na sociedade; aprender e a seguir regras; superar a timidez ou vergonha; freiar os seus impulsos e ansiedade; ser mais colaboradora e menos individualista ou egoísta; reconhecer e respeitar que existe alguém que sabe mais que ela; melhorar a sua sua coordenação motora; crescer física e emocionalmente; potenciar bons hábitos; dominar os seus movimentos; estimular a sua saúde e higiene; ter responsabilidades e compromissos”. Afirmou Ribeiro.

Segundo Lucivaldo o projeto está na mão e no coração, sem patrocínio e ajuda financeira, ele tira de seu salário como industriário para dar o mínimo de estrutura e motivar os iniciantes vencedores. Mas, como ele mesmo afirma, para vender sua ideia, hoje em dia, ela precisa ser concreta e existir, assim eu acredito que aparecerá amigos para caminharmos nesse bem gigantesco para nossos jovens conterrâneos.

Na sexta-feira (04) pegamos a lancha as 7hs da manhã do porto de Manaus - AM, absorvemos o custo e seguimos para Terra Santa, chegando lá as 18hs, foram 11 longas horas pelo imenso Amazonas. A reunião estava marcada para as 19h:30mn. O tempo estava curto, mas dentro da programação.

Antes ele já tinha vindo a sua cidade, feito o que ele chamou de peneira e já classificou os atletas, que além de jogar bola deverão cumprir com várias outras regras, teve que forma time sub-15 e sub-17, pela procura ser muito grande.

A reunião começou as 20hs, o local já estava pronto, Clube Ecológico, na orla de Terra Santa, Slid, data show, tela... tudo com a ajuda da secretária de esporte de Terra Santa, que está dando o apoio moral e acompanhando, auxiliando no projeto.

Eram esperados 30 pais, dos 17 jogadores escolhidos sub-15 e 20 sub-17. Estiveram presentes mais de 60 pessoas, incluindo alguns atletas que vieram pedir para entrar no projeto, pois não estavam na cidade no dia da peneira.

O momento de falar a todos sempre causa ansiedade, mas o clima foi propício, pois os presentes entenderam o recado e se mostraram ansiosos para começar e abraçaram a ideia.

Foi apresentada em Slide, um pouco da história do time de Terra Santa em Manaus, que já é bastante conhecido devido a organização e desempenho do time de Terra Santa que em 2 anos de disputa no maior campeonato de peladas do mundo, o Peladão. Fez bonito elevando o nome da cidade e reunindo pessoas da comunidade terrasantense em Manaus.

A secretaria de esporte, laser e turismo, Vander Lucia Andrade Soares, que também é educadora, falou: “Estamos vivendo um momento importante para a cidade de Terra Santa, temos um gestor municipal que gosta de esporte, este projeto vem em um bom momento, está na hora de caminharmos juntos, e estou aqui para dizer que nosso município recebe este projeto com alegria, pois o esporte, anda juntos com a disciplina e educação. Vontade nós temos, e agora a oportunidade. Quero lembrar que tudo tem um preço, e que para ser um bom jogador, precisa ser um bom aluno, tirar notas boas, não ser malcriado com os pais em casa, fazer “por onde”, para também os pais de vocês terem motivação de apoia-los,  vamos nos organizar, temos grandes time de futebol aqui no município, uma rivalidade sadia, e esses times quando precisarem de renovação, buscar o recurso humano aqui da cidade e quem sabe formarmos nossa seleção para uma Copa Oeste de Seleções, falta a regularização, situações burocráticas formar e constituir nossa liga e regularizar nossos clubes e a semente está plantada vocês poderão ser nossos futuros jogadores”.

Após, perguntas e respostas, a reunião finalizou com um lanche, salgados e refrigerante. E Agendamento da terceira etapa, para sábado as 7hs, da manhã no campo do Juvenil, para um coletivo apronto pois será uma grande jornada para um compromisso em dezembro.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual BANDA ou CANTOR que vc gostaria de ver num Grande Evento Paraense em 2020 em Manaus

2.4%
22.5%
10.3%
1.5%
0%
0%
15.2%
1.8%
0.6%
34.3%
1.2%
4.0%
4.0%
2.1%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp