02/03/2017 às 18h23min - Atualizada em 02/03/2017 às 18h23min

“Muitas pessoas julgam as dificuldades do dia a dia para desistir dos seus sonhos”. Marcinete, professora no Mondongo.

São desafios e barreiras que impedem de seguir ou até mesmo de tentar, começar. Mas, desafios existem para serem superados, vencidos.

Por: Walmir Ferreira
Foto: Portal Obidense

ÓBIDOS - Barreiras são necessárias para rompê-las. Muitos não entendem assim, mas a professora Marcinete decifrou esse código e fez dos diversos desafios que a vida lhe ofereceu caminhos certos para superar e crescer.

Moradora da região de Várzea do município de Óbidos, Oeste do Pará, Marcinete de Oliveira nasceu, cresceu e se formou morando no vilarejo de raízes quilombolas. A comunidade de várzea de nome Mondongo, localizada há aproximadamente 30 quilômetros em linha reta da cidade de Óbidos, na costa Fronteira, reserva muitos desafios para o educando, tanto no período de cheia dos rios como na vazante.

O calendário letivo para essas comunidades ribeirinhas é diferente do calendário da rede municipal de ensino da zona urbana e de terra firme. O período letivo se adapta a realidade da região que alaga consideravelmente durante o inverno, também conhecido como período chuvoso.

Marcinete de Oliveira viveu e ainda vive essa realidade. Hoje, professora e responsável da escola, sabe bem a dificuldade que passou para conseguir estudar e a formação na cidade de Óbidos.

“Eram tempos difíceis. Eu estudava todo final de semana e tinha ocasião que eu andava quatro horas até a margem do Rio Amazonas e na volta, no domingo, caminhava mais quatro horas de volta pra casa. De sete às onze da noite caminhando.” Disse Marcinete Oliveira.

Para conseguir uma formação acadêmica Marcinete decidiu estudar na cidade, mas para isso teria de estudar todo final de semana. Sem casa na zona urbana o jeito era ir aos sábados e voltar aos domingos. O percurso de quatro horas de caminhada, entre os trechos alagados e de lagos rasos, Marcinete seguiu o objetivo de estudar e se formar.

Ao longo de três sofridos anos conseguiu se formar e hoje Psicopedagoga dá aulas na Escola “Bom Jesus” em sua própria comunidade.

Contra todas as dificuldades os caminhos a levaram a uma realização pessoal e profissional. Marcinete é apenas um de tantos exemplos de superação que encontramos na região. As barreiras existem e são verdadeiros desafios que serão superados dependendo da força que cada um terá. Barreiras existem. Vencedores também. Exemplos não faltam.

“Eu poderia dizer pra todo mundo que não consegui minha formação porque não tinha recursos e meios para ir para a cidade estudar. Tantas vezes cheguei debaixo de chuva e a noite para casa. Mas, eu segui. Continuei e finalizei. Sou uma pessoa realizada.”

Essa é a realidade de muitos estudantes no vilarejo. Canelas sujas de lama, pés descalços e mochilas nas costas e sonhos na cabeça. Assim, todas as manhãs novos exemplos são dados. A vitória vai depender de cada um. Só basta começar. Dar os primeiros passos, mesmo que no caminho haja muitos tropeços e desafios.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual BANDA ou CANTOR que vc gostaria de ver num Grande Evento Paraense em 2020 em Manaus

2.4%
22.5%
10.3%
1.5%
0%
0%
15.2%
1.8%
0.6%
34.3%
1.2%
4.0%
4.0%
2.1%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp