08/07/2024 às 11h43min - Atualizada em 08/07/2024 às 11h43min

UFPA e Profletras-Norte abrem inscrições para Congresso Panamazônico sobre Educação

As inscrições podem ser feitas por professores, pesquisadores, estudantes de graduação, licenciaturas, pós-graduandos, discentes e profissionais de outras áreas

Por: Kid Reis

Portal Obidense  Publicidade 790x90

Congresso Panamazônico sobre Educação

PARÁ - A Universidade Federal do Pará (UFPA) e a Coordenação do Programa de Mestrado Profissional em Rede Nacional (ProfLetras-Norte) abriram no dia 3 de julho, as inscrições para o 1º Congresso Panamazônico dos Professores de Língua e Literaturas da Educação Básica (1º Cllimaz) e o 2º Encontro dos Egressos do ProfLetras da UFPA (2º Letrasvivaz), que ocorrerão de 24 a 27 de setembro deste ano no Centro de Convenções Benedito Nunes, em Belém do Pará.
 

As inscrições podem ser feitas pelo link https://www.sigeventos.ufpa.br. O Congresso tem o apoio do Instituto de Letras e Comunicação da Universidade Federal do Pará (ILC-UFPA) e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) do Ministério da Educação (MEC).  O site do evento é www.cllimaz.ufpa.br.
 
As inscrições podem ser feitas por professores, pesquisadores, estudantes de graduação, licenciaturas, pós-graduandos, discentes e profissionais de outras áreas. O professor Marcos Cunha, presidente do 1º Cllimaz e integrante do Conselho Gestor do ProfLetras Nacional na Região Norte, afirma que Congresso reunirá, sobretudo, professores da educação básica - Ensino Fundamental e Médio - estimulando a relação com a educação superior para discutir o ensino de língua, linguagem e literaturas no ensino básico como ações de valorização humana dos sujeitos e de suas espacialidades na região panamazônica.


 
O objetivo do 1º Cllimaz é promover a interlocução entre os diferentes profissionais da área, pensar o ensino da linguagem para além da gramática tradicional e das variantes prestigiadas da língua portuguesa.  “Vamos propor políticas de ensino comprometidas com a ecologia e a sustentabilidade, enfatizando-se a importância da inclusão social, étnica, cultural, artística e escolar, além de discutir ações que combatam as diferenças regionais”, explica o coordenador.
 
Uma das metas do 1º Cllimaz é constituir-se como um evento permanente com o fim de possibilitar uma formação acadêmica de professores que promova a interlocução da educação básica com a sociedade, singularizando-se, também, por motivar o engajamento efetivo da escola básica com as causas climáticas em defesa da floresta amazônica e da vida.
 
Na programação, ainda em consolidação, está prevista, também, a realização de conferências envolvendo as políticas de formação de leitores no Brasil e na Amazônia, que perpassam pela literatura e o humanismo; o ato literário e o ensino na diversidade etno-linguística amazônica-brasileira e os dispositivos escolares e as suas relações de saber/poder no ensino da linguagem, entre outros temas.
 
Estão previstas mesas de diálogo e grupos de trabalho para debater aspectos teóricos e temáticos da formação, evidenciando-se a força da oralidade e a sua relação com a escrita, com a linguagem de sinais, a leitura, produção e recepção de textos, além da análise dos discursos regionais. As mesas redondas farão reflexões teóricas sobre o ensino da linguagem em áreas de fronteiras em um mundo globalizado em que prevaleceu, historicamente, uma relação desigual com os povos originários, as comunidades tradicionais, os quilombolas, os ribeirinhos e os moradores das periferias urbanas e periurbanas.
 
Já o 2º Letrasvivaz tem por objetivo viabilizar a formação continuada dos docentes da rede pública nos níveis fundamental e médio a que se propõe o Programa de Mestrado em Rede Nacional em Letras. O Profletras Nacional é constituído por 42 universidades públicas no Brasil e funciona em 49 unidades. Desde 2013, mais de 4,1 mil professores de Língua Portuguesa se tornaram mestres e atuam na área educacional brasileira. “Avançaremos nesta estatística e nestes propósitos”, sinaliza Marcos Cunha.
 
A construção desses conhecimentos abre espaço para a participação social dos educadores e discentes no momento em que se debate a 30ª Conferência das Partes das Nações Unidas sobre Mudança Climática (COP 30) em Belém. Os eventos reafirmam o compromisso da universidade com uma formação humanizada e transformadora no ensino, na pesquisa e na extensão em educação, linguagem e literaturas nas universidades e escolas públicas panamazônicas. “A educação básica é um instrumento fundamental para a formação consciente das atuais e futuras gerações em prol de um novo modelo de desenvolvimento sustentável para a sobrevivência do planeta e do ser humano”, assinala Marcos.  A expectativa é que os dois eventos reúnam em torno de mil educadoras e educadores.

Portal Obidense  Publicidade 790x90


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp